Dia de campo: algodão transgênico da agricultura familiar

Os resultados da primeira experiência de plantio de algodão transgênico em áreas de agricultura familiar, em Minas Gerais, serão apresentados em um Dia de Campo no município de Catuti, Norte de Minas.

Quase 200 pessoas, entre produtores, industriais e técnicos do setor, além de autoridades, participarão do encontro, que será coordenado pela Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento com a sua vinculada Emater-MG. O evento tem o patrocínio do Programa Mineiro de Incentivo à Cultura do Algodão (Proalminas) e Associação Mineira dos Produtores de Algodão (Amipa).

De acordo com o coordenador do Proalminas, Lindomar Antônio Lopes, os técnicos e pesquisadores convidados para o encontro na Unidade Técnica Demonstrativa (UTD) de Catuti esperam com ansiedade os resultados da experiência. “Será a confirmação de que o cultivo de algodão com tecnologia avançada não está restrito às grandes propriedades, sendo possível também o seu desenvolvimento nas áreas sem irrigação, desde que os agricultores se organizem e trabalhem com orientação técnica.” A algodão a ser apresentado no dia de campo já foi aprovado pela Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CNTBio).

O plantio do algodão transgênico para a agricultura familiar na região está sendo patrocinado pela Associação dos Produtores em parceria com o Proalminas e tem o suporte técnico da Secretaria da Agricultura, por intermédio de suas vinculadas Emater-MG e Epamig. Segundo o coordenador, esse programa fortalece o trabalho do governo do Estado para estimular a cotonicultura no Norte de Minas, explorada basicamente por agricultores familiares. Segundo o Proalminas, essa região concentra o maior número de produtores do Estado, mas cerca de 80% da produção de algodão é proveniente do Triângulo Mineiro, Noroeste e Alto Paranaíba.

O apoio do governo estadual, por meio do Proalminas, tem por objetivo possibilitar aos pequenos produtores da região o acesso às novas tecnologias para o cultivo do algodão e aumentar a sua participação no abastecimento da pluma ao parque têxtil de Minas, que consome mais de 150 mil toneladas de pluma por ano. Um dos instrumentos utilizados são as quatro Unidades Técnicas Demonstrativas (UTDs) já em funcionamento nos municípios de Catitu, Pai Pedro, Monte Azul e Mato Verde. Nessas unidades, os produtores podem desenvolver cultivos-modelo com a orientação de técnicos e buscar respostas para problemas em suas áreas de plantio. Nas UTDs, os produtores também recebem orientação para se organizar em cooperativas ou associações, o que facilita as negociações para aquisição de insumos e a comercialização do produto.

Informações Gerais

  • 12/04/2007 à 12/04/2007
  • MG - Catuti
    Unidades Técnicas Demonstrativas
  • Website do Evento
  • Gratuíto

Localização do Evento