Impacto da pecuária sobre o efeito estufa

Impacto da pecuária sobre o efeito estufa

 

Maior exportadora de carne bovina e detentora do maior rebanho comercial do mundo, a pecuária do Brasil tem sido cobrada a assumir compromissos para redução do gás metano. O metano é emitido naturalmente na digestão dos animais ruminantes, como bois, cabras, ovelhas e búfalos. As pastagens também emitem gases de efeito estufa, principalmente o óxido nitroso. O metano e o óxido nitroso são os principais gases emitidos pela pecuária com efeito estufa. Mas o capim e as árvores também podem fazer o contrário, sequestrando o gás carbônico e retirá-lo da atmosfera. Esse processo é chamado sequestro de carbono. Tanto as emissões quanto o sequestro de gases de efeito estufa são fenômenos que acontecem naturalmente. Mas o pecuarista pode influenciar no efeito estufa, melhorar ou agravar a emissão de gases, por meio do manejo e alimentação dos animais.

Para quantificar as emissões da pecuária brasileira de forma mais precisa, a Embrapa começou em 2011 o projeto de pesquisa chamado Pecuária Sustentável-Rede Pecus. Com centenas de pesquisadores e diversos parceiros no Brasil e no exterior (universidades, institutos de pesquisa, agências de fomento à pesquisa e da iniciativa privada), a Rede Pecus realiza pesquisa nos seis biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Cerrado, Mata Atlântica, Pantanal e Pampa e faz um balanço entre as emissões de gases de efeito estufa (GEEs), principalmente por meio do metano entérico dos bovinos e o sequestro de carbono dos vários sistemas de produção. O objetivo da Rede Pecus é contribuir para a competitividade e a sustentabilidade da pecuária brasileira por meio de pesquisas que irão estimar a participação dos sistemas de produção agropecuários na dinâmica de gases de efeito estufa, visando subsidiar políticas públicas, negociações internacionais e orientações para os pecuaristas.

Na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas de Copenhague, em 2009, o Brasil firmou compromisso de reduzir a curva de crescimento das emissões dos gases em 33% até 2020. Os resultados também contribuirão para que o Brasil atinja os compromissos voluntários de redução das emissões de GEEs.

Dia de Campo na TV sobre Impacto da pecuária sobre o efeito estufa foi produzido pela Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos/SP) e pela Embrapa Informação Tecnológica (Brasília/DF), unidades da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

 

Serviço:

Este programa vai ao ar na sexta-feira, 22 de novembro, pelo Canal Rural (Net/Sky), a partir das 9h. No domingo, 24 de novembro, às 7h, pela NBR (TV do Governo Federal, captada por cabo ou por parabólica), com reprise às 17h.

Saiba mais sobre o Dia de Campo na TV: http://www.embrapa.br/diacampo

Videoteca Embrapa: http://www.youtube.com/user/VideotecaEmbrapa

 

 

Mais informações:

Embrapa Pecuária Sudeste

www.cppse.embrapa.br

Gisele Rosso– jornalista (MTb/PR 3091)

Email: gisele.rosso@embrapa.br

Tel.: (16) 3411 5625

 

Embrapa Informação Tecnológica

http://www.embrapa.br/diacampo

Maria Luiza Brochado – jornalista (DRT-DF 763 0574)

Email: maria-luiza.brochado@embrapa.br

Tel.: (61) 3449 4807

 

Cirlene Elias
Setor de Mídia Eletrônica
Embrapa Informação Tecnológica
Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa)
Brasília/DF

cirlene.elias@embrapa.br
Tel.: +55 (61) 3448 4349
www.sct.embrapa.br
 

 

Informações Gerais

  • 22/11/2013 à 01/01/0001
  • SP - São Carlos
  • Gratuíto

Localização do Evento