Seminário Algodão da Bahia: Oportunidades e Desafios

As boas novas para o agronegócio algodão, que marcaram os quatro primeiros meses deste ano, devem aquecer o debate no seminário Algodão da Bahia: Oportunidades e Desafios, evento que vai concentrar todos os elos da cadeia produtiva do agronegócio no próximo dia 26, no município baiano de Luis Eduardo Magalhães.

Assuntos como a redução do quorum na CTNBio para aprovações de novas tecnologias em genética, e a propalada conquista das prateleiras americanas, com a criação de um selo de denominação de origem, o Pure Brazil Cotton, serão comemorados conjuntamente pelos 150 participantes esperados para o encontro. O evento abre a segunda fase do programa Pro-Algodão, uma iniciativa da Associação Baiana dos Produtores de Algodão, Abapa, e será realizado no espaço de Eventos Quatro Estações, das 14h às 18h.

Também terão lugar de destaque na programação temas como o fortalecimento da imagem da fibra baiana, o investimento em qualidade, a profissionalização do setor e a credibilidade frente ao mercado internacional. A agenda de palestras será iniciada pelo presidente da Abapa, Walter Horita. """"""""O reconhecimento do algodão do Brasil no mercado internacional se justifica não apenas pelo nível de excelência do produto, como do produtor. E esse produtor alcança tal patamar de qualificação na medida em que participa de encontros como esse, onde se partilha o conhecimento e se busca juntos as soluções para os grandes problemas do setor"""""""", afirma Horita.

Personalidades da cotonicultura nacional, como o presidente da indústria Coteminas, Josué Gomes da Silva, e o Coordenador de Fibras e Oleaginosas do MAPA e Secretário Executivo da Câmara Setorial do Algodão, Sávio Rafael Pereira. Monsanto, Ihara e Syngenta também assinam a organização do seminário.

O município de Luís Eduardo Magalhães, a 900 km da capital Salvador, está localizado na região Oeste da Bahia. Principal produtora da fibra na Bahia, a região foi responsável por elevar o estado à condição de segundo maior produtor nacional, com estimativa de colheita de 972 mil toneladas de caroço em, aproximadamente, 270 mil hectares plantados. A expansão da cultura no cerrado redesenhou o mapa da cotonicultura baiana, cujo expoente há pouco mais de uma década, era o município de Guanambi, na região Sudoeste.

Informações Gerais

  • 26/04/2007 à 26/04/2007
  • BA - Luís Eduardo Magalhães
    Espaço de Eventos Quatro Estações
  • Website do Evento
  • Gratuíto

Localização do Evento