"Brasil atende segurança alimentar de países árabes", diz Bolsonaro
CI
Imagem: Divulgação
ECONOMIA

"Brasil atende segurança alimentar de países árabes", diz Bolsonaro

Presidente participou da abertura do Fórum Econômico Brasil & Países Árabes
Por: -Eliza Maliszewski

O mercado aberto ao agronegócio pelos países árabes é gigantesco e tende a crescer ainda mais. No ano passado as exportações para aqueles países somaram US$ 12,1 bilhões, saindo da quinta para a terceira posição como principal destino. Até julho deste ano já são 16,9% a mais, somando US$ 7,1 bilhões. 

O Brasil exportou para os 22 países árabes principalmente frango, açúcar, minério de ferro, carne bovina e milho. Um dos destaques é o mercado halal, aquele onde todo o processo, desde a matéria-prima até o produto final, seguem as normas definidas pela religião islâmica. Nesse mercado o Brasil é líder em exportações. O mercado halal é gigantesco e deve chegar a US$ 3,2 trilhões até 2024. A comunidade muçulmana é de 1.8 bilhão pelo mundo mas, em 2050, deve ser  de 2,76 bilhões, ou seja, 29,7% da população mundial.

Na abertura do Fórum Econômico Brasil & Países Árabes, nesta segunda-feira (19), o presidente Jair Bolsonaro destacou a força do mercado e que as relações entre o Brasil e os países árabes está em seu melhor momento. “Pretendemos a continuar estreitando os laços e aproveitar o enorme potencial a ser explorado em diversos setores, pela força de nossas nações”, disse. Ainda reforçou os laços entre as nações onde cerca de 30 empresas brasileiras já têm escritório no Oriente Médio.

No agronegócio, Bolsonaro acredita que há potencial para crescer ainda mais. “Os países árabes podem contar com o Brasil como parceiros em sua segurança alimentar”, reforçou. Ainda destacou parcerias importantes não só com países árabes do Golfo mas com os africanos como o Egito, que é o segundo maior comprador árabe com destaque para carne bovina; no Marrocos uma parceria estratégica para comprar fertilizantes daquele país e na Argélia que é o principal país de importações brasileiras. "Temos que estabelecer marcos regulatórios para estabelecer ainda mais nossos laços com os países árabes", ressaltou. 

A comunidade árabe hoje é 6% da população brasileira, quase 12 milhões de pessoas. O presidente da Câmara de Comércio Árabe Brasileira, Rubens Hannun, enfatizou que os países árabes são referência global em tecnologia, preservação ambiental e produção sustentável. “O Brasil, por sua vez, terá um papel de ainda mais destaque na segurança alimentar das populações árabes. Há, portanto, muito potencial para a criação e ampliação das alianças”, disse.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink