"Mercado de nutrição animal brasileiro não parou"
CI
Imagem: Divulgação
ENTREVISTA

"Mercado de nutrição animal brasileiro não parou"

Só uma das grandes empresas do setor cresceu quase 40% entre janeiro e agosto
Por: -Eliza Maliszewski

A pandemia não parece ter afetado o agronegócio que não parou. O mesmo cenário é percebido no mercado de nutrição animal. Cada vez com soluções mais completas e desenvolvidas pensando em bem-estar animal o desempenho é satisfatório. 

De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações) o primeiro trimestre do ano registra produção de 18,9 milhões de toneladas de alimentação animal e crescimento de 4,3% comparado ao mesmo período do ano anterior. O bom desempenho é puxado pela abertura de novos mercados para as proteínas brasileiras e pela busca do criador de soluções mais completas e eficientes. O crescimento previsto para o setor em 2020 é de 3,8% e para 2021 um cenário mais positivo ainda. 

O Portal Agrolink conversou como CEO da Auster Nutrição Animal, Paulo Portilho. A empresa brasileira, com sede em Hortolândia (SP), atua em avicultura (corte e postura), suinocultura e pecuária leiteira. Somente de carne suína as exportações brasileiras cresceram mais de 44% neste ano e podem avançar mais com os casos de PSA na Alemanha, grande exportador europeu. De janeiro a agosto foram embarcadas 678,3 mil toneladas. Em frango o Brasil mantém a liderança com os embarques crescendo 1,7% no primeiro semestre, com 2,11 milhões de toneladas. Em ovos foram 7,6 mil toneladas exportadas em 2019 e com a abertura de novos mercados como o México, nesta semana, as vendas para o exterior podem crescer ainda mais.  Os dados são da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

No caso da Auster o crescimento entre janeiro e agosto foi de 38,49%,com faturamento de R$ 180,5 milhões. O número é 26,6% a mais que o faturamento total de 2017, por exemplo (R$ 142,6 milhões). A previsão é de atingir R$ 280 milhões até o final do ano. A empresa concluiu no início do ano a primeira etapa da expansão de sua unidade industrial, com ampliação da logística interna e de armazenamento. Novos investimentos serão feitos na ampliação das instalações administrativas e, na sequência, em maior capacidade de fabricação. Os investimentos superam os R$ 15 milhões. Confira a entrevista: 

Portal Agrolink: como podemos avaliar o mercado de nutrição animal nesta pandemia?
Paulo Portilho:
o mercado de nutrição animal brasileiro não parou, assim como o agronegócio. A pandemia da Covid-19 não teve reflexos negativos nas empresas que conseguiram lidar bem com a volatilidade do mercado e com os desafios de logística. Mesmo com a pandemia, tivemos um crescimento de 38% entre janeiro e agosto deste ano, e isso se deve aos nossos clientes e ao resultado de nossos produtos para a performance de seus animais, assim como nossa capacidade de ajuste aos inéditos desafios desse ano tão difícil
 
Portal Agrolink: imaginam resultados ainda mais positivos com a alta do leite, aumento de exportações de frango e possível aumento da demanda de suínos brasileiros com os casos de PSA na Alemanha?
Paulo Portilho:
embora haja casos de PSA na Alemanha, ainda não tivemos nenhum tipo de reflexo no mercado de suínos brasileiro. A expectativa é sempre positiva quando pensamos no Brasil como alternativa e para atender a qualquer mercado de proteína animal, a qualquer tempo. Claro que temos que fazer nossa lição de casa, permanecermos competitivos e eficientes, mas se assim o fizermos o Brasil vai exportar mais na pandemia (seja de covid ou de PSA) seja fora dela.
 
Portal Agrolink: o que se pode esperar até o final do ano?
Paulo Portilho:
o quarto trimestre será desafiador para nossos clientes, principalmente pela alta de preços de commodities, com custos de produção mais altos e desafiadores.  Melhorar o desempenho dos animais nunca foi tão importate!
 
Portal Agrolink: como a nutrição correta interfere positivamente no desempenho dos animais na produção de leite, carne e ovos?
Paulo Portilho: a nutrição adequada e de qualidade tem interferência direta no desempenho desses animais. Por meio de minerais, vitaminas e proteínas especificamente e cuidadosamente escolhidos e selecionados, além da adição de enzimas e acidificantes que contribuem para a microbiota intestinal e saúde do animal, trazendo maior resistência e melhorando seu desempenho e produção sempre obteremos resultados superiores!
 
Portal Agrolink:  bem-estar animal e nutrição andam juntos? Digo no sentido do animal ter acesso a alimento de qualidade sem competição como nos sistemas cage free de aves e free stal ou compost barn em vacas leiteiras?
Paulo Portilho:
sim, o bem-estar e a nutrição animal caminham juntos. Todos os produtores buscam oferecer uma alimentação balanceada e nutrição de qualidade para seus animais, com ingredientes de alta qualidade e de forma irrestrita, de modo que o animal coma o que precisa para seu crescimento e para seu desempenho conforme a sua idade.
 
Portal Agrolink: dicas para o criador observar na hora de escolher a base nutricional?
Paulo Portilho:
para a escolha da base nutricional é importante que o produtor se atente a alguns pontos: escolher e confiar na empresa que fornece a alimentação para seus animais; escolher uma empresa para esse fornecimento que ofereça serviço e apoio técnico empenhados em atender às suas necessidades.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink