“Minimizamos a volatilidade do Dicamba”

EXCLUSIVA

“Minimizamos a volatilidade do Dicamba”

Líder Global de Produtos Foliares da Monsanto/Bayer, John Hemminghaus falou ao Agrolink
Por: -Leonardo Gottems
4373 acessos

Líder Global de Produtos Foliares da Monsanto/Bayer, John Hemminghaus afirma que a tecnologia Xtend, que agrega a resistência ao herbicida Dicamba à soja Intacta 2, minimizou a níveis baixos a volatilidade do Dicamba. De acordo com ele, essa característica do ingrediente ativo, apontada como causadora do problema de deriva registrado nos Estados Unidos, foi praticamente eliminada na nova formulação do produto.

Falando com exclusividade ao Portal Agrolink, Hemminghaus explica que o Dicamba é um “agente controlador efetivo de ervas daninhas”. O herbicida combate plantas invasoras de folhas largas que se tornam resistentes ao glifosato e outras tecnologias.

O especialista revela que a Monsanto/Bayer vem trabalhando junto a fabricantes de bicos de aplicação de agroquímicos para desenvolver o equipamento mais adequando: “A maneira básica de reduzir a deriva de partículas é selecionar os bicos que produzam gotas na medida certa. As partículas menores podem ir mais longe através do vento. Ao reduzir o número de partículas finas – selecionando o bico correto, nós podemos reduzir a distância que essas partículas viajam”. 

“Adicionalmente, nós trabalhamos com fabricantes de adjuvantes para desenvolver agentes de redução de deriva que sejam compatíveis com os bicos que estamos recomendando. Com isso conseguimos um sistema melhorado, que vai além do que o próprio bico pode fornecer”, acrescenta John Hemminghaus.

Ele revela ainda que a equipe de pesquisa de desenvolvimento da fabricante tem sido “muito proativa em desenvolver uma fórmula de baixa volatilidade para o Dicamba. Adicionalmente, demos passos no sentido de limitar o número de tipos de misturas de tanque, como por exemplo o sulfato de amônio, que pode aumentar substancialmente a volatilidade, além de certos sais de glifosato, como o dimetil lauramina. Nos Estados Unidos nós restringimos o uso deles. Então, tendo uma fórmula de baixa volatilidade e sendo bastante proativo com relação às misturas, realmente nos permitiu minimizar a quantidade de volatilidade do Dicamba”.

Sobre o futuro, Hemminghaus adiantou ao Agrolink que a Monsanto/Bayer já trabalha nos próximos passos de uma linha de sistemas de herbicidas tolerantes que trazem novos traços a serem usados em soja, milho e algodão. “A esperança é de que possamos trazer essas novas ferramentas aos produtores, que terão mais flexibilidade em soluções de pós-emergência que lhes permitem não só pulverizar um único herbicida, mas utilizar herbicidas múltiplos em um sistema que pode controlar efetivamente e sustentavelmente as ervas daninhas”, conclui.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink