“No Ponto” bonificará pecuaristas que cumprirem protocolo de qualidade
CI
Agronegócio

“No Ponto” bonificará pecuaristas que cumprirem protocolo de qualidade

Programa “No Ponto” bonificará pecuaristas que cumprirem protocolo de qualidade
Por:
Programa “No Ponto” bonificará pecuaristas que cumprirem protocolo de qualidade

O programa “No Ponto”, lançado recentemente pelo grupo frigorífico JBS, irá bonificar os pecuaristas que cumprirem um protocolo específico de qualidade e fornecerem bois com padrão elevado. A proposta é cadastrar e fidelizar criadores que supram a demanda do mercado de cortes especiais de carne.


Participam do programa apenas machos castrados, os quais, segundo Eduardo Pedroso - Diretor de Relacionamento com o Pecuarista do JBS – conferem uma carne mais saborosa, mais macia, suculenta e com a coloração ideal, vermelho-cereja-brilhante.

O “No Ponto” irá bonificar o produtor em até R$ 8 por arroba, de acordo com as metas atingidas. Pedroso explica que o JBS escolheu Mato Grosso para ser pioneiro no projeto, por conta do posicionamento da empresa no Estado e porque o rebanho mato-grossense é o maior do país, chegando a quase 30 milhões de cabeça.


Em síntese, o programa quer cadastrar pecuaristas que se comprometam em periodicamente, em dias específicos, entregar lotes de qualidade diferenciada, que originarão cortes especiais para as linhas Swift.

A linha Swift Grill é responsável por abastecer grandes redes de churrascarias por todo país. A Swift Maturatta fornece cortes especiais diretamente ao consumidor através de pontos de venda como supermercados.

Além disso, o JBS visa conquistar o mercado europeu com esse tipo de produto diferenciado, segundo informa Eduardo Pedroso.

“Nós precisamos atender a uma demanda mais qualificada. O Brasil tem canais de venda cada vez mais ávidos por qualidade”, comenta o diretor.

No Ponto

O programa é válido para machos castrados - zebuínos e taurinos de corte e seus cruzamentos. Não são atendidas as raças leiteiras e cruzados leiteiros. As carcaças devem ter de 240 a 300 quilos.

Problemas como contusões de intensidade média a grave na carcaça, lesões de vacina nos cortes da alcatra completa e contrafilé e presença de resíduos de medicamentos – especialmente da família Avermectina – são itens desclassificatórios para bônus.


De acordo com Eduardo Pedroso, o pecuarista precisa fazer alguns ajustes em sua produção para garantir o cumprimento do protocolo e conseguir a bonificação. Segundo o diretor, é um negócio muito interessante ao criador em médio e longo prazo.

O programa será implantado gradualmente em todas as plantas do JBS em Mato Grosso, de acordo com a demanda. Por hora, um projeto piloto foi implantado em Araputanga, há duas semanas.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.