CRISE

“Quebradeira” nas produtoras de aves e rações

Empresas estão suspendendo atividades parcial ou completamente
Por: -Leonardo Gottems
4305 acessos

Estão se concretizando os piores receios do mercado: há uma crise generalizada entre as empresas do setor de proteína animal, que estão suspendendo as suas atividades parcial ou completamente. A chamada “quebradeira” do segmento foi precipitada devido, principalmente, à crise econômica, mas também à escassez de crédito, instabilidade política, alta dos insumos (milho e farelo de soja) e forte queda nos preços de venda, que ficam abaixo dos custos de produção.

Dessa vez foi a GTB Foods, de Ipuaçu (SC), quem comunicou o encerramento de suas atividades, demitindo 600 funcionários a partir do próximo dia seis de Julho. A decisão foi tomada, de acordo com a empresa, “após várias tentativas de fazer frente à maior crise que se instalou sobre o segmento”.

A T&F Consultoria Agroeconômica, que já vinha prevendo esse cenário, destaca que também a LAR Cooperativa AgroIndustrial, parou as atividades por seis dias. O diretor-presidente da companhia justifica que, devido ao forte impacto da greve dos caminhoneiros, está impossibilitada a circulação de mercadorias e consequente faturamento. Com isso, pediu que todos os seus fornecedores prorroguem os seus prazos de pagamento em 30 (trinta) dias. 

“Nesta semana a China, depois da União Europeia, impôs sobretaxa para a importação de carne de frangos do Brasil, alegando necessidade de proteger seu mercado interno, o que também deverá ter grandes desdobramentos sobre o setor no país”, avalia o analista da T&F Consultoria Agroeconômica Luiz Fernando Pacheco. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink