"Vazio sanitário" começa a vigorar no PR para evitar fungo na soja

Agronegócio

"Vazio sanitário" começa a vigorar no PR para evitar fungo na soja

Medida preventiva está implantada em outros onze Estados
Por:
1091 acessos
Os agricultores do Paraná estão proibidos de plantar ou manter plantas vivas de soja no estado, no período de 15 de junho a 15 de setembro. É o período do vazio sanitário – sem plantas de soja em propriedades rurais e estradas.

Em nota, a Secretaria da Agricultura explicou que o objetivo da medida é evitar ou retardar ao máximo o aparecimento do fungo causador da ferrugem asiática, doença que ataca a cultura e causa sérios prejuízos aos produtores. O Paraná é o segundo maior produtor de soja do país, com volume de produção de 15,26 milhões de toneladas de grãos e área plantada de 4,5 milhões de hectares.


Parceira na divulgação do vazio sanitário no Paraná, a Federação da Agricultura está distribuindo 300 mil folhetos de alerta, nas barreiras interestaduais, nas concessionárias de pedágio e transportadoras de soja, sobre o período da proibição. A engenheira agrônoma Maria Celeste Marcondes, responsável pela área de Grandes Culturas do Departamento de Fiscalização e Defesa Agropecuária (Defis) da Secretaria da Agricultura alerta os transportadores para que verifiquem se as carrocerias dos caminhões estão bem vedadas e tomem os devidos cuidados para não derrubar grãos nas estradas. A ideia é evitar que nasçam plantas nas margens das rodovias , que podem servir de hospedeiras do fungo.


O vazio sanitário foi adotado no Brasil em 2006. De acordo com a assessoria da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, a medida preventiva está implantada em 12 estados (Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, São Paulo, Minas Gerais, Distrito Federal, Maranhão, Paraná, Bahia, Rondônia e Pará). A maioria deles adotou o vazio sanitário por 90 dias. Na Bahia, no Pará e Maranhão, o vazio sanitário deve durar 60 dias , a partir de 15 de junho.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink