2ª Visita Técnica apresenta resultados sobre cultivares de algodão – safra 2015/16

Agronegócio

2ª Visita Técnica apresenta resultados sobre cultivares de algodão – safra 2015/16

2ª Visita Técnica do Projeto Adoção de Cultivares de Algodão para o Oeste da Bahia
Por:
1271 acessos

Com o objetivo de otimizar a difusão de novas cultivares de algodoeiro com características de alta adaptabilidade ao cerrado baiano, potencial produtivo e qualitativo, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Fundação Bahia e Embrapa, realizaram a 2ª Visita Técnica do Projeto Adoção de Cultivares de Algodão para o Oeste da Bahia - Safra 2015/16, nos dias 21 e 22 de junho, no Campo Experimental da Ide Consultoria, na Fazenda Warpol, em Roda Velha, distrito de São Desidério, e no Campo de Validação da Círculo Verde, em Luís Eduardo Magalhães.

A ação contou com a presença de produtores, pesquisadores, gerentes de fazendas, fornecedores, consultores da região e técnicos do Programa Fitossanitário da Abapa. Durante o evento, foram apresentados os resultados do primeiro ano do projeto, quando foram identificadas as cultivares TMG 42, 81, 82 WS e FM 975 WS, FM 913 e 940 GLT e DP 555 BGRR como as de melhor produtividade e rentabilidade, e as BRS 371 RF e FM 982 GL como melhores para refúgio.

Segundo o pesquisador, Dr. Eleusio Freire, mestre em Agronomia e doutor em Genética e Melhoramento de Plantas, e um dos responsáveis pelo projeto, nessa safra, o estado da Bahia plantou cerca de 25 variedades, que estão sendo avaliadas. “Nesse segundo ano do projeto, estão sendo avaliadas 25 cultivares, que passarão por teste de qualidade de fibra, análises econômicas, dentre outros, a fim de, ao final, ser recomendada aquelas que melhor se adaptam”, disse Dr. Eleusio, que também salientou sobre o risco de se plantar um número muito grande de variedades. “Precisamos tomar cuidado em relação à quantidade de variedades, uma vez que a quantidade, altera a qualidade, gerando reclamações nas indústrias de fiação. Minha orientação é que sejam escolhidas, dentre essas 25, no máximo cinco, que serão divulgadas no Workshop de Apresentação de Resultados, em agosto”, enfatizou.

Para a safra 2015/16, o projeto está sendo desenvolvido em quatro Unidades de Demonstração (UD’S): Fazenda Carvalho (Equipe Consultoria), Fazenda São Marcos (Inovação Consultoria), Fazanda Warpol (Ide Consultoria) e Fazenda Harmonia (Consultoria Círculo Verde), e no centro de pesquisa e tecnologia da Fundação Bahia, com 24 cultivares em avaliação, nos critérios de: resistência à seca, pragas, doenças, ciclo, porte, produtividade, conceito geral.

“A intenção do projeto é possibilitar que os produtores visualizem comparativamente todos as opções de cultivares de algodão disponível. Com esse projeto é possível avaliar as diferenças de cada cultivar, facilitando assim, a troca de informação. Mais do que nunca a gente percebe a importância dessa avaliação, todos os anos são lançadas novas cultivares no mercado, é importante conhecer as condições de cada uma, com rapidez e dinamismo, para evitar possíveis perdas. Esse é um trabalho totalmente isento e dará respaldo às decisões dos produtores da região”, disse o diretor da Abapa, e coordenador do Programa Fitossanitário da Bahia, Celito Breda.

O Projeto conta com o apoio do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA).

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink