433 propriedades estão habilitadas para exportar carne bovina
CI
Agronegócio

433 propriedades estão habilitadas para exportar carne bovina

Lista das fazendas inclui animais cadastrados no Sisbov
Por:
Lista das fazendas deve ser atualizada a cada 15 dias e inclui animais cadastrados no Sistema de Rastreabilidade de Bovinos (Sisbov)
 
Relação das propriedades habilitadas para exportar carne bovina in natura para União Europeia (UE) voltou a ser publicada na sexta-feira (3) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Mato Grosso integra a chamada "lista trace" com 433 propriedades que atendem às exigências da Instrução Normativa 17, que regulamenta o Sistema Brasileiro de Rastreamento (Sisbov). Número estadual corresponde a 22% do total de 1,948 mil fazendas brasileiras autorizadas a fornecer o produto ao mercado europeu, considerado mais exigente que os demais.

No Estado, 39 propriedades aguardam auditoria dos órgãos fiscalizadores para futura inserção na lista. Número de fazendas habilitadas atualmente corresponde a 0,40% do total existente em Mato Grosso, que soma 106 mil, conforme o Serviço de Saúde Animal da superintendência regional do Mapa. Chefe do setor, Ênio José de Arruda Martins, explica que antes os nomes das propriedades habilitadas para atender a UE eram publicados pelas próprias autoridades europeias, após reavaliação das propriedades.

Agora, o acompanhamento se limitará ao Mapa, que retoma o gerenciamento da relação, executado desde 2007 pela UE, com a condição de publicar a lista atualizada a cada 15 dias no site do ministério. Relatórios de auditoria não precisarão mais ser transmitidos para a Comissão Europeia. "Isso muda a agilidade na elaboração do relatório de auditoria".

Diretor de relações institucionais da Federação da Agricultura e Pecuária (Famato), Rogério Romanini, acrescenta que agora serão necessárias adaptações nos órgãos responsáveis pela vistoria das propriedades, para garantir a celeridade no credenciamento das fazendas, já que o interesse dos pecuaristas em habilitar novas propriedades deve crescer.

Desejo em negociar com os países europeus é despertado pela garantia de obter preços melhores. Nesta semana, a arroba do boi gordo destinada àquela região alcançou o preço médio de R$ 88, enquanto para o mercado interno se manteve em R$ 86. "No começo, a diferença no preço pago pelos frigoríficos exportadores ao bloco chegava a R$ 8".

No ano passado, as vendas de carne bovina mato-grossense à UE movimentaram US$ 99,305 milhões, referentes a 13,655 mil toneladas embarcadas, conforme dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Sanidade - Um foco de raiva foi registrado na cidade de Vila Rica, na fazenda Europa. Conforme o Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea), em novembro passado alguns animais morreram na propriedade, com sintomas de raiva. Após exames, a doença foi confirmada. Por orientação do Indea, todo rebanho foi vacinado contra raiva e botulismo.

Medida preventiva incluiu a notificação para vacinação dos animais presentes em todas a propriedades em um raio de 12 km da fazenda afetada. Trinta dias após a primeira vacinação de todos os bovinos, ovinos, caprinos, suínos, equinos e muares, deve ser feito o reforço.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.