5 histórias de amor ao agro
CME MILHO (SET/20) US$ 3,250 (3,31%)
| Dólar (compra) R$ 5,37 (-1,57%)

Imagem: Pixabay

ESPECIAL

5 histórias de amor ao agro

Nesta semana foi o Dia do Agricultor e vamos relembrar essa homenagem
Por: -Eliza Maliszewski
2474 acessos

28 de julho foi Dia do Agricultor. Através de cinco histórias diferentes contamos mais sobre o amor ao campo e os novos tempos da agricultura, com cultivares e defensivos de alto desempenho, manejos mais eficiências, ascensão dos biológicos, tecnologias empregadas na produção que elevam o resultado final da safra.

Laércio, Haroldo, Carla, Anderson e Renato estão em cidades diferentes e se dedicam ao plantio de culturas diferentes, mas compartilham o respeito ao agronegócio, cada vez mais sustentável.

Laércio Dalla Vechia, mora em Mangueirinha (PR). É o campeão de produtividade de soja na safra 2019/20, com 118,82 sacas por hectare. A atividade vem de família. Ele aposta em manejos de solo como o grande segredo de seu sucesso, com uma construção de perfis físicos, químicos e biológicos.

Haroldo da Cunha, mora em Turvelândia (GO), onde se dedica, entre outras culturas ao algodão. Já foi presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) e da Associação Goiana dos Produtores de Algodão (Agopa). Atualmente é presidente executivo do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA). A atividade no agronegócio também veio da família, que migrou da pecuária para a agricultura.  Cunha destaca o uso de tecnologias como a irrigação, que tem elevado a produção no Cerrado.

Já Carla Rossato, que se divide entre Sertaneja e Santa Mariana (PR), planta milho. A propriedade é familiar e cabe a ela buscar novas soluções para a lavoura fora da porteira e transmitir esse conhecimento para dentro. Parte do sucesso se deve ao avanço genético em cultivares e formulações de defensivos.

O Anderson Allan é mineiro de Matipó e se dedica a cafeicultura. A volta às origens foi recente. Ele trabalha em outro ramo, uma cooperativa de crédito, mas decidiu apostar no café, atividade que seu avô exercia. Toda a família está envolvida no processo e ele espera crescer como produtor e transmitir a atividade para as filhas.

Por fim o Renato Moretto, residente em São Paulo mas com sítio de produção de orgânicos em Bueno Brandão (MG). Ele se divide entre as atividades como médico ortopedista e produtor rural. Recentemente o investimento em rastreabilidade dos produtos tomou forma na propriedade, assegurando a qualidade.

Vamos conhecê-los melhor no vídeo?


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink