A caminho da produção sustentável

Agronegócio

A caminho da produção sustentável

Por:
639 acessos
Ganhar dinheiro e salvar o mundo é a bandeira da agricultura orgânica e também a proposta da Tecnologia Social PAIS


O caminho para a produção agrícola sustentável começa de maneira simples. A horta agroecológica instalada na Fazenda Platina, em Ribeirão Claro, Norte Pioneiro do Paraná, revela a naturalidade de um processo que pretende gerar renda aos produtores, sem agredir o meio ambiente. Mas não só. A proposta desse modelo produtivo é possibilitar a integração, diversificação e o cultivo de alimentos mais saudáveis, que sirvam tanto para o consumo próprio quanto para a comercialização.


O sistema, na verdade, é um ""convite"" aos agricultores familiares ao desenvolvimento sustentável, seguindo as práticas do sistema da Tecnologia Social PAIS (Produção Agroecológica Integrada e Sustentável). ""É um estímulo à agricultura orgânica por meio de processo produtivo sem o uso de agrotóxicos, independência de insumos vindos de fora da propriedade, com correto manejo dos recursos naturais e evitando o desperdício de alimentos"", resume Aly Ndiaye, engenheiro agrônomo senegalês, idealizador do sistema.

Criado primeiramente para subsistência de produtores e comunidades rurais de baixa renda do nordeste brasileiro, há 10 anos, o projeto se espalhou pelo País. Em formato de mandala, composta por canteiros circulares - para o cultivo de hortaliças -, um galinheiro - no centro - e o quintal agroecológico - voltado a culturas perenes - a Tecnologia PAIS já implantou perto de 7 mil hortas em 15 estados brasileiros. O sistema de Ribeirão Claro, por sua vez, é o primeiro do sul do País e o primeiro que tem como principal objetivo a comercialização.


""A ideia é promover Ribeirão Claro como polo de agricultura orgânica"", afirma Paulo Itacambi, conselheiro da ONG Núcleo de Aprendizagem Paulo Sogayar (Naps). A organização, criada no final de 2008 e instalada na Fazenda Platina, cedeu o espaço para a implantação do sistema. Segundo ele, a horta foi implantada no Naps para servir de exemplo para produtores de toda a região. ""A economia caminha para o "verde", para o sustentável, se Ribeirão Claro continuar no caminho estará na fronteira do desenvolvimento"", aposta.

Odemir Campello, consultor do Sebrae/PR em Jacarezinho, cidade vizinha de Ribeirão, revela que o projeto prevê a implantação de 30 hortas agroecológicas num prazo de três anos. O propósito do programa é gerar uma fonte de renda alternativa para as famílias, melhorar a qualidade de vida da comunidade e disseminar o conhecimento para o maior número possível de pessoas. ""A intenção é trabalhar o desenvolvimento dos produtores como um todo, contribuindo para uma melhor produção e ajudando na comercialização dos produtos"", ressalta o consultor.


Segundo ele, o órgão pretende pulverizar o conhecimento, mesmo que nem todos façam a horta. O Sebrae ainda pretende, conforme Campello, formar uma rede de parceiros, para viabilizar todo o processo - desde o financiamento das hortas até a comercialização -, e ajudar na formação de uma associação dos produtores da Tecnologia PAIS. ""Vamos tentar a certificação e inclusive criar marca própria"", projeta Campello.

Erika Zanon
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink