Abate bovino fecha 2010 com alta de 4,3% em relação a 2009

Agronegócio

Abate bovino fecha 2010 com alta de 4,3% em relação a 2009

Em 2010 foram abatidas 29,265 milhões de cabeças
Por:
1974 acessos
Em 2010 foram abatidas 29,265 milhões de cabeças de bovinos, representando aumento de 4,3% em relação ao ano anterior. Também houve elevações nos abates de frango (4,5%), com 4,988 bilhões de unidades abatidas, e de suínos (5,1%), com 32,510 milhões de unidades abatidas. No ano passado, foram adquiridos 20,966 bilhões de litros de leite, 7,0% a mais que em 2009, e 35,009 milhões de peças de couro cru inteiro de bovinos. Já a produção de ovos de galinha atingiu 2,460 bilhões de dúzias, 4,2% a mais que em 2009.

Na comparação entre os meses de 2010 e 2009 para o abate de bovinos, somente outubro e dezembro tiveram desempenho inferior a 2009. Esses declínios foram influenciados, principalmente, pelo menor consumo de carne bovina do mercado interno, em resposta às fortes altas de preços, e pela queda do volume de carnes exportadas no último trimestre.

No acumulado do ano, o Centro-Oeste respondeu por 34,7% do abate de bovinos, e o Sudeste, por 22,3%. Mato Grosso continua sendo o estado líder no abate de bovinos (14,0% do total), seguido por São Paulo (12,1%) e Mato Grosso do Sul (11,3%).

Quanto ao número mensal de abate de frangos em 2010, somente setembro e outubro apresentaram desempenhos inferiores ao ano anterior. A principal região em abate de frangos é a Sul, com 59,5% da produção nacional, seguida pelo Sudeste (22,4%). O Paraná contribui com 26,4% do total de frangos abatidos.

Para o abate de suínos, somente em julho foi registrado número inferior a 2009. O destaque foi dezembro, com o maior registro mensal de abate de suínos (2,965 milhões) desde o início da pesquisa, em 1997. O abate de suínos se concentra no Sul (65,4%), onde estão os dois principais estados abatedores, Santa Catarina (26,9%) e Rio Grande do Sul (21,9%).

Desde 1997, quando a Pesquisa Trimestral do Leite foi implantada, verifica-se que a aquisição de leite cresce ano a ano. Na comparação entre 2009 e 2010, houve grande crescimento da produção no 2º trimestre de 2010 (14,3%). Entre janeiro e agosto de 2010 a aquisição de leite esteve acima da registrada em 2009, sofrendo queda nos dois meses seguintes e voltando a crescer em novembro e dezembro.

No 2º trimestre de 2010 foi registrada a maior aquisição de couro cru inteiro de bovinos, cerca de 9,157 milhões de peças, nos dois trimestres seguintes houve quedas. O 4º trimestre foi quando se adquiriu menos couro. A quantidade de peças inteiras de bovinos adquiridas em 2010 foi 19,6% superior ao total de bovinos abatidos no ano.

No 4º trimestre de 2010, foram abatidos 7,183 milhões de bovinos

No 4º trimestre de 2010, foram abatidas 7,183 milhões de cabeças de bovinos, uma queda de 3,0% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 3,8% em relação ao mesmo período em 2009. A oferta de animais para abate esteve reduzida nas principais regiões produtoras e houve queda nas exportações.

O abate de bovinos tem mostrado recuperação após período de crise internacional (4º trimestre de 2008 ao 2º trimestre de 2009). A partir do terceiro trimestre de 2009, apresentou cinco trimestres consecutivos de crescimento em relação aos respectivos períodos do ano anterior (Gráfico 1). Apenas no 4º trimestre de 2010 o abate de bovinos foi inferior ao mesmo período do ano anterior, apresentando variação negativa. Contudo, ressalta-se que o 4º trimestre de 2009 não era mais período de crise, e o mercado encontrava-se bastante aquecido.

 
 
Em termos de peso de carcaças registrou-se 1,681 milhão de tonelada, sendo 5,2% e 6,2% inferior aos pesos registrados no 3º trimestre de 2010 e no 4º trimestre de 2009, respectivamente.

Participaram da pesquisa 1.447 informantes de abate de bovinos, distribuídos por todas as Unidades da Federação. Houve acréscimo de nove informantes em relação ao terceiro trimestre de 2010, seis deles no Rio Grande do Sul, que, no final do ano, subiu de sétimo para o quarto lugar no ranking de abate de bovinos, o Rio Grande do Sul teve um aumento de 21,4% em relação ao mesmo período de 2009. Os três principais estados em abate de bovinos registraram quedas acentuadas: Mato Grosso (-15,6%), São Paulo (-8,9%) e Mato Grosso do Sul (-12,6%).

No 4° trimestre de 2010, o abate de 1,263 bilhão de unidades de frangos representa o terceiro maior registro trimestral desde o início da Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, em 1997. Na comparação com o mesmo período de 2009, houve alta de 4,0% e, na comparação com o 3º trimestre de 2010, houve redução de 1,6% no volume abatido. A produção de carcaças foi de 2,707 milhões de toneladas, queda de 2,8% com relação ao trimestre imediatamente anterior e aumento de 7,1% frente ao registro do 4° trimestre de 2009.

Quanto à participação por Unidade da Federação, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul respondem por cerca de 60% do volume abatido.

No 4° trimestre de 2010, o abate de 8,319 milhões de unidades de suínos representa mais uma vez destaque na Pesquisa Trimestral do Abate de Animais, sendo novo recorde. Houve aumento de 0,1% frente ao volume abatido no 3° trimestre de 2010 que havia sido o maior da série histórica. Quando comparado ao correspondente trimestre de 2009, a variação é positiva em 5,1%.

Participaram da pesquisa de abate de suínos 901 informantes. O Rio Grande do Sul tem o maior número de informantes e responde por 21,5% % do volume abatido nacionalmente, ficando atrás somente de Santa Catarina, que lidera com 26,3% desse total.

No 4º trimestre de 2010 os estabelecimentos industriais inspecionados adquiriram 5,594 bilhões de litros de leite, volume 2,1% com relação ao mesmo período de 2009 e de 7,7% com relação ao 3º trimestre de 2010. Quanto ao leite industrializado houve o registro de 5,557 bilhões de litros no 4º trimestre de 2010. Com relação ao 4º trimestre de 2009 houve aumento na industrialização de 2,0%, e de 7,4% frente ao 3º trimestre de 2010.

Minas Gerais foi o principal estado em aquisição de leite, com 26,0% do total captado nacionalmente. Rio Grande do Sul vem na segunda posição, adquirindo 14,3%. Participaram da pesquisa 2013 estabelecimentos informantes.

A quantidade adquirida de couro cru inteiro de bovinos foi de 8,413 milhões de unidades no 4º trimestre de 2010. Este número indica quedas na aquisição de 5,9% com relação ao 4º trimestre de 2009 e de 5,8% com relação ao 3º trimestre de 2010. Apesar dos números, a aquisição manteve-se crescente entre os meses do trimestre e cabe observar que todo este couro foi comprado no mercado nacional.

São Paulo é o 2º estado que mais adquire couro de bovinos (16,2% do total), ficando atrás somente de Mato Grosso (16,5%). Participaram da pesquisa 131 informantes.

Quanto ao couro curtido houve o registro de 8,609 milhões de peças, com quedas respectivas de 4,0% e de 5,9% respectivamente ao 4º trimestre de 2009 e 3º trimestre de 2010.

A produção de ovos de galinha no 4º trimestre de 2010 foi de 621,547 milhões de dúzias, aumento de 3,4% com relação ao mesmo período de 2009. Com relação ao 3º trimestre de 2010 houve ligeira estabilidade (-0,1%).

A maior produção de ovos de galinha ocorreu em São Paulo, que concentra 30,0% da produção nacional. Minas Gerais teve a 2ª maior produção (12,8% do total), seguida pelo Pará (9,1%). Em termos absolutos, o maior incremento de produção ocorreu em Mato Grosso. Participaram da pesquisa 1.553 informantes.

Outra variável investigada pela pesquisa e agora divulgada é o efetivo de galinhas no último dia do mês. Esta variável no 4º trimestre de 2010 comparativamente ao mesmo período de 2009 registrou variação positiva de 4,3%.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink