Aves

Abate de aves sob SIF em 2017: recuo maior que o apontado?

Dados apontam que os estabelecimentos “sifados” abateram em 2017 pouco mais de 5,5 bilhões de cabeças de aves
Por:
55 acessos

Os dados do Serviço de Inspeção Federal (SIF) do MAPA apontam, como publicou o AviSite há uma semana (segunda-feira, 12 de março), que os estabelecimentos “sifados” abateram em 2017 pouco mais de 5,5 bilhões de cabeças de aves, resultado que representou queda de 0,56% em relação aos abates sob SIF do ano anterior. Será, porém, que a redução não foi maior que a apontada?

A dúvida surgiu quando, analisados individualmente os abates por Unidade Federativa (UF), observou-se que o Paraná abateu no ano quase 100 milhões de cabeças a mais que em 2016, enquanto, por exemplo, no grupo das oito principais UFs (que o Paraná lidera) o aumento foi de 12 milhões de cabeças. A partir daí aprofundou-se a análise sobre os abates paranaenses, agora em termos mensais. E o que se constatou é que, no levantamento do SIF, os abates de novembro e dezembro atingem resultados que destoam dos dez meses anteriores. Pois, frente a abates médios de 154,3 milhões de cabeças mensais entre janeiro e outubro, os abates do bimestre final do ano aumentam quase 40% e atingem a média mensal de 212,7 milhões de cabeças.

Contrapostos aos números publicados pelo Sindicato das Indústrias Avícolas do Estado do Paraná - SINDIAVIPAR (restritos exclusivamente a frangos, enquanto os números do SIF são mais amplos, envolvendo aves em geral, exceto avestruzes), a ocorrência de uma distorção fica ainda mais clara (gráfico abaixo).

Supondo-se que em novembro e dezembro os abates “sifados” paranaenses tenham se mantido dentro da média registradas nos 10 meses anteriores, o volume anual do Estado cairá para pouco mais de 1,851 bilhão de cabeças abatidas, enquanto o total abatido nacionalmente sob SIF recuará para 5,391 bilhão de cabeças, 2,67% menos que o registrado em 2016 – um índice mais compatível com aqueles divulgados pelo próprio setor avícola.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink