Abates de bovinos e suínos e produção de ovos crescem em 2012
CI
Agronegócio

Abates de bovinos e suínos e produção de ovos crescem em 2012

Em 2012, foram abatidas 31,118 milhões de cabeças de bovinos, com aumento de 8,0% em relação a 2011 e nova marca recorde na série histórica do abate de bovinos por ano
Por:
Em 2012, foram abatidas 31,118 milhões de cabeças de bovinos, com aumento de 8,0% em relação a 2011 e nova marca recorde na série histórica do abate de bovinos por ano. O recorde anterior – desde 1997 quando a Pesquisa Trimestral de Abate de Animais foi iniciada – havia sido alcançado em 2007, quando foram abatidas 30,713 milhões de cabeças de bovinos. A redução nos preços nacional e internacional e o aumento das exportações de carne bovina contribuíram para o aumento da oferta desse produto.


No acumulado de 2012, foram abatidas 35,980 milhões de cabeças de suínos, um crescimento de 3,2% em relação a 2011. A série anual mostra que houve crescimento ininterrupto dessa atividade desde 2005. O peso acumulado das carcaças no abate de suínos, em 2012, alcançou 3,465 milhões de toneladas, representando aumento de 2,8% em relação ao ano anterior

Já o abate de frangos, somando 5,238 bilhões de animais, representou redução de 0,9% sobre o volume registrado em 2011. O peso acumulado das carcaças no abate de frangos, em 2012, alcançou 11,533 milhões de toneladas, representando aumento de 0,9% em relação ao ano anterior.

A aquisição de leite no ano foi de 22,338 bilhões de litros, gerando um aumento de 2,5% sobre a quantidade obtida em 2011. Já a industrialização do produto teve aumento de 2,6% no comparativo entre os anos de 2011 e 2012.

No ano de 2012, foram adquiridas 35,194 milhões de peças inteiras de couro bovino, num crescimento de 3,6% sobre 2011 e com aumentos consideráveis em Santa Catarina (33,9%), Rondônia (21,5%), Paraná (20,2%) e Mato Grosso (16,2%).

A produção de ovos de galinha em 2012 (2.689.451 mil dúzias) também aumentou em relação a 2011 (4,8%), enquanto o efetivo de galinhas, de 499.855 mil cabeças, no último dia do ano, cresceu 3,9%.

Essas e outras informações estão disponíveis nos resultados do 4º trimestre e acumulado no ano de 2012 das Pesquisas Trimestrais do Abate de Animais e Produção de Leite, Couro e Ovos. A publicação completa da pesquisa pode ser acessada na página http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/agropecuaria/producaoagropecuaria/default.shtm

Em 2012, Região NE foi a única a ter redução no abate bovino: -0,3%


No acumulado de 2012, a Região Nordeste foi a única Grande Região brasileira que apresentou decréscimo (-0,3%) na quantidade de bovinos abatidos, puxado principalmente por Pernambuco e Ceará, que abateram, respectivamente, 98.033 (-24,5%) e 36.173 (-11,5%) a menos que em 2011. Impulsionada pelo incremento da quantidade abatida em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, em 2012, totalizando 1.478.281 cabeças de bovinos a mais que em 2011, a Região Centro-Oeste apresentou aumento na participação nacional (de 36,5% para 38,5%), enquanto as demais apresentaram queda, mesmo as que tiveram aumento da quantidade de bovinos abatidos: Região Norte (+220.072), Sudeste (+413.799) e Sul (+191.621).

Parte do aumento do abate de bovinos na Região Centro-Oeste pode ser explicada pelos aumentos das quantidades de carne bovina in natura exportadas pelos três estados da Região.

O peso acumulado de carcaças em 2012 acompanhou o abate de bovinos, alcançando nova marca recorde de 7,351 milhões de toneladas e aumento de 8,4% frente ao acumulado de 2011. O recorde anterior também havia sido alcançado em 2007, com 7,049 milhões de toneladas de carcaças de bovinos.

Abate de frangos cai pela segunda vez em dez anos


O abate de frangos teve redução de 0,9% no comparativo 2012/2011. O resultado negativo significou, pela segunda vez nos últimos 10 anos, redução no nível do abate de frangos na comparação com o ano anterior. Se, em 2009, o setor da avicultura foi impactado pela crise financeira internacional, em 2012, a cadeia produtiva do abate de frangos em nível de agregado nacional deparou-se com o aumento de preços dos insumos de produção (soja e milho) que gerou dificuldades a muitas empresas.


A Região Sul respondeu por 58,6% do abate nacional de frangos, enquanto que a Região Sudeste registrou 22,1%. O Paraná lidera o ranking nacional em nível de participação da produção nacional, com crescimento no número de cabeças abatidas em 2012, em relação ao ano anterior. Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo registraram quedas no nível de atividade, sobretudo no 2° semestre.

Sul continua a liderar abate de suínos com 65,3% na participação nacional


O abate de suínos aumentou 3,2% em 2012 sobre 2011. Em quase todos os meses do ano, houve variação positiva no abate de suínos, frente aos registros mensais de 2011. As exceções foram os meses de setembro e dezembro, que variaram -4,7% e -7,9%, respectivamente.

A Região Sul continuou sendo a principal região abatedora de suínos em 2012, respondendo por 65,3% do abate nacional. Santa Catarina liderou com 24,8% do abate nacional de suínos, seguida do Rio Grande do Sul (18,0%) e Paraná (16,6%), mas foram os estados do Paraná e de Minas Gerais que se destacaram quanto ao aumento de produção e de participação, comparando com 2011.

Aquisição de leite foi maior no primeiro trimestre do ano


A variação anual da produção de leite foi de 2,5% em 2012 sobre 2011. No comparativo entre os meses de 2012 e 2011, observaram-se aumentos de aquisição de leite entre janeiro e agosto e quedas a partir de setembro, sendo a mais acentuada a do mês de novembro. A maior aquisição de leite ocorreu no 1º trimestre do ano.

Do total de leite adquirido no ano de 2012, 92,5% originaram-se de estabelecimentos que atuam sob inspeção sanitária federal, 6,8% de estabelecimentos que atuam sob inspeção estadual e 0,7% de estabelecimentos com inspeção municipal.

A aquisição manteve-se crescente ao longo da série, desde 1997 até o último dado disponível, e, durante o período, pode-se dizer que dobrou o volume adquirido.

Aquisição de couro bovino aumentou 5,4% em 2012


No acumulado de 2012, a aquisição de couro teve aumento de 3,6% sobre 2011. Do couro adquirido, 65,3% teve origem de matadouros frigoríficos; 6,8% veio de intermediários ou salgadores; 1,5%, de matadouros municipais; 1,1%, de outros curtumes e 0,2%, de outras origens.


Quanto ao recebimento de couro de terceiros para prestação de serviços de curtimento, de 2011 para 2012, houve redução de 3,2%. As quedas mais importantes foram as do Maranhão (-76,1%), Ceará (-54,6%) e São Paulo (-41,8%). Minas Gerais teve aumento significativo (520,9%), assim como Pará (191,3%) e Tocantins (129,4%).

O curtimento de couro aumentou 3,6% no ano de 2012 comparativamente ao ano de 2011.

Abate de bovinos no 4º trimestre chegou a 8,1 milhões de cabeças


No 4° trimestre de 2012. foram abatidas 8,186 milhões de cabeças de bovinos, registrando novo recorde na série histórica do abate de bovinos por trimestre. O recorde anterior foi alcançado no 3º trimestre de 2012, com a marca de 8,053 milhões de cabeças abatidas. O abate de bovinos no Brasil tem sido crescente nos últimos três trimestres. Nos comparativos do 4º trimestre de 2012 com o trimestre imediatamente anterior e com o 4º trimestre de 2011, os incrementos foram da ordem de 1,7% e 11,1%, respectivamente.

O peso acumulado de carcaças (1,950 milhão de tonelada) foi superior 1,7% ao registrado no 3º trimestre de 2011, e superior 11,5% ao registrado no mesmo trimestre do ano anterior.

Abate de frangos registra queda de 3,3 % em relação ao 3º trimestre de 2012


No 4° trimestre houve abate de 1,288 bilhão de cabeças de frangos, representando queda de 3,3% em relação ao trimestre imediatamente anterior e de 2,4% em relação ao 4° trimestre de 2011. O peso acumulado das carcaças (2,766 milhões de toneladas) foi 6,7% inferior ao registrado no 3° trimestre de 2012 e 3,2% inferior ao registrado no 4° trimestre de 2011.

Os três estados do Sul somaram 59,0% do abate nacional, mais que o dobro da participação do Sudeste (21,1%). O Estado do Paraná lidera o ranking nacional de abate de frangos com participação de 28,0%. Santa Catarina e Rio Grande do Sul vêm a seguir, participação na casa dos 15% cada um.

Na comparação com o 3° trimestre de 2012, Santa Catarina abateu 12,8% a menos, e São Paulo registrou variação negativa de 8,4%, contribuindo significativamente para a queda da produção no agregado nacional.

Abate de suínos aumentou 0,8% sobre o 4º trimestre de 2011


No 4° trimestre de 2012, foram abatidas 9,083 milhões de cabeças de suínos, representando queda de 2,2% em relação ao trimestre imediatamente anterior e aumento de 0,8% em relação ao 4° trimestre de 2011. O peso acumulado das carcaças produzidas (863,825 mil toneladas) foi inferior ao do trimestre anterior em 3,6%, e em 1,1%, na comparação com o mesmo período de 2011.


A Região Sul respondeu por 64,4% do abate nacional de suínos no 4º trimestre de 2012, seguida pelas Regiões Sudeste (19,2%), Centro-Oeste (15,1%), Nordeste (1,3%) e Norte (0,1%). No comparativo entre os últimos trimestres 2012-2011, o destaque foi a Região Sudeste, única a apresentar algum aumento (1,1%), graças ao crescimento de 9,1% no abate de Minas Gerais. Paraná e Rio Grande do Sul também aumentaram o abate de suínos, mas Santa Catarina, que lidera o ranking nacional, registrou queda de 7,2% no número de cabeças abatidas, determinando variação negativa de 0,6% no abate para a Região Sul.

Aquisição de leite no trimestre cresceu 4,8% sobre o anterior


A aquisição de leite no 4º trimestre de 2012 aumentou 4,8% relativamente ao 3º trimestre do mesmo ano. Porém, em relação ao 4º trimestre de 2012, caiu 1,8%.

No período, a participação regional na aquisição de leite foi de 38,9% para o Sudeste; 36,6% para o Sul; 13,7% para o Centro-Oeste; 5,8% para o Norte e 5,0% para o Nordeste. Minas Gerais é o estado que mais adquire leite (25,6%), seguido por Rio Grande do Sul (15,4%) e Paraná (11,7%) Os seis primeiros estados detêm 82,7% da aquisição de leite.

Aquisição de couro também aumentou no 4º trimestre em 4,4%


A aquisição de couro inteiro de bovinos foi de 8,767 milhões de unidades no último trimestre de 2012, aumentando 4,4% em relação ao mesmo período de 2011. No entanto, comparando com o 3º trimestre de 2012, houve queda de 2,8%.

A origem do couro no trimestre final de 2012 pode ser assim distribuída: 66,3% de matadouros frigoríficos, 24,7% de terceiros para a realização de serviços de curtimento de couro e 6,1% de intermediários ou salgadores.

Dentre o couro oriundo dos matadouros frigoríficos, 39,9% estavam localizados no Centro-Oeste do país; 21,1% no Norte; 19,8% no Sudeste e 16,0% no Sul.

Em termos de aquisição total de couro, Mato Grosso merece destaque, seguido por São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Produção de ovos no trimestre decresceu 2,9% em relação ao anterior


A produção de ovos de galinha foi de 662,116 milhões no 4º trimestre de 2012, ficou estável em relação ao 4º trimestre de 2011, mas decresceu 2,9% em relação ao 3º trimestre de 2012. No comparativo entre os trimestres finais de 2012 e 2011, verificaram-se significativas quedas em São Paulo (-5,4%), Minas Gerais (-5,1%) e no Rio de Janeiro (-16,9%), o que refletiu na Região Sudeste (-1,7%). No Sul, houve queda de 0,4%, com resultados negativos no Paraná e em Santa Catarina. No Nordeste, as maiores quedas aconteceram no Ceará e em Sergipe, embora o total da região não tenha decaído. As Regiões Norte e Centro-Oeste registraram aumento da produção de ovos de galinha.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.