Abates em Mato Grosso ficam prejudicados com greve de servidores do Indea

Agronegócio

Abates em Mato Grosso ficam prejudicados com greve de servidores do Indea

A greve dos servidores do Indea começa a dificultar os abates de animais (bovinos, aves e suínos) nos frigoríficos instalados no Estado.
Por:
453 acessos

A greve dos servidores do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) começa a dificultar os abates de animais (bovinos, aves e suínos) nos frigoríficos instalados no Estado. O setor, que há pouco mais de um ano vem enfrentando dificuldades, está tendo problemas para retirar os animais das propriedades e levar até as unidades industriais visto ser o órgão o responsável pela emissão da Guia de Trânsito Animal (GTA).

Há pouco mais de um ano o setor frigorífico de bovinos, no caso, vem enfrentando dificuldades com a falta de animais para o abate, além do consumo retraído no mercado interno diante a recessão econômica pela qual o Brasil passa.

Dados do Indea revelam um volume de 1,537 milhão de cabeças de bovinos abatidas no primeiro quadrimestre de 2016 em Mato Grosso. Uma média mensal de 384,47 mil cabeças, volume este 1,45% menor que as 390,13 mil cabeças de bovinos abatidas em média o ano passado no período.

Levantamento realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) mostra que a utilização da capacidade industrial instalada em plantas com Serviço de Inspeção Federal (SIF) está em 43,31% em Mato Grosso neste ano, percentual abaixo da média anual de 44,62% de 2015.

“A greve dos servidores do Indea para os frigoríficos é um prejuízo muito grande. Prejudica a atividade. Ainda mais que o setor vem enfrentando dificuldades. O consumo no mercado interno caiu também, o que agrava ainda mais. O Indea para os frigoríficos é essencial para a emissão das GTA. Sem essa guia não se consegue fazer o transporte dos animais para os frigoríficos”, explica o presidente do Sindicato das Indústrias de Frigoríficos de Mato Grosso (Sindifrigo), Luiz Antônio Freitas Martins.

Pelo RGA

Os servidores do Indea e Intermat "cruzaram" os braços na manhã de segunda-feira, 06 de junho. As duas categorias aderiram à greve geral para cobrar a Revisão Geral Anual (RGA), que prevê a reposição das perdas inflacionárias de 2015, de 11,28%. Hoje, 30 categorias de entidades sindicais ligadas ao Fórum Sindical estão com as atividades paradas de um total de 32. O Governo de Mato Grosso na última semana propôs para os servidores reajuste de 6% parcelado em três vezes, porém não foi aceito.

A base total do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal do Estado de Mato Grosso (Sintap) compreende 950 servidores, dos quais 56 são do Instituto de Terras do Estado de Mato Grosso (Intermat) e o restante do Indea.

Conforme o Indea, "A comissão de greve informa que TODAS as unidades do Indea - Central administrativa e laboratórios, que atendem aos 141 municípios através de 13 regionais - estão fechadas. Somente 30% de servidores estão trabalhando, conforme prevê a lei de greve com escala nas barreiras volantes, postos fiscais e barreira sanitária. Os demais servidores em greve ficarão concentrados em frente à Secretaria de Estado de Gestão (Seges)".

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink