ABPA e MAPA buscam abertura de mercado no México
CI
Agronegócio

ABPA e MAPA buscam abertura de mercado no México

Workshop será realizado no próximo dia 29 de julho
Por:

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) promoverá no dia 29 de julho, na Embaixada do Brasil na cidade do México, um workshop com a presença de autoridades do país da América do Norte focado na abertura do mercado para as exportações de carne suína e material genético avícola do Brasil.

Coordenada pelo presidente da ABPA, Francisco Turra, e pelos vice-presidentes de aves da associação, Ricardo Santin, e de suínos, Rui Eduardo Saldanha Vargas, a agenda tem como objetivo, também, ampliar a pauta de exportação de carne de frango para o mercado mexicano.

O Secretário de Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Marcelo Junqueira, confirmou participação no evento.

Dentro da agenda, está programada uma reunião com o Secretário de Agricultura, Pecuária, Desenvolvimento Rural, Pescas e Alimentação, Enrique Martínez y Martínez.  As ações têm o apoio do embaixador do Brasil no México, Marcos Raposo Lopes, e da embaixadora do México no Brasil, Beatriz Elena Paredes Rangel.

De acordo com o presidente da ABPA, o México, juntamente com a Coreia do Sul, é um alvo prioritário para as exportações de carne suína do Brasil.

“Recentemente, participamos de ações no mercado mexicano e fomos informados sobre problemas de abastecimento de carne suína no país, decorrentes dos focos de Diarreia Suína Epidêmica (PED). Por este motivo, queremos agilizar os processos para que o Brasil se consolide como parceiro, para garantia de oferta do produto para os consumidores locais”, destaca.

Sobre as exportações avícolas, o presidente da ABPA destacou outro problema sanitário recentemente enfrentado pela avicultura mexicana: focos de Influenza Aviária, registrados em 2012, mas que ainda causam impactos na produção local.

“No ano passado, o México abriu suas portas para a carne de frango do Brasil. Somente agora, entretanto, é que os embarques ganharam força, chegando a 3,5 mil toneladas nos cinco primeiros meses deste ano. Por isto, embora nosso foco principal na ação seja a abertura para carne suína, queremos ampliar a pauta exportadora de frango para o destino, ao mesmo tempo em que buscamos a abertura para o segmento de genética avícola, que também foi afetado durante a crise sanitária de 2012”, disse Turra. 

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink