Abramilho participa de prêmio global de combate à fome

Agronegócio

Abramilho participa de prêmio global de combate à fome

Entidade representou o Brasil em encontro internacional de agricultores nos EUA
Por:
1177 acessos
Entidade representou o Brasil em encontro internacional de agricultores nos EUA

Em uma iniciativa para promover o aumento da produção de alimentos no combate à fome no mundo, a Associação Brasileira de Produtores de Milho (Abramilho) participou, em outubro, da cerimônia de entrega do World Food Prize, mais importante premiação que celebra as principais personalidades que ajudam, de alguma forma, a erradicar a fome.

A Abramilho foi representada pelo vice-presidente Sérgio Bortolozzo, que afirmou ter voltado animado do evento. "Os organizadores têm planos ousados para acabar com a fome infantil até 2015. E isso é possível, desde que haja o engajamento de toda a cadeia produtora de alimentos - que começa na agricultura", comentou.

Além disso, o evento promoveu uma mesa de debates entre produtores rurais de todo o mundo, a Global Farmer to Farmer Roundtable, com o objetivo de estimular, através da expansão da biotecnologia para pequenos produtores do planeta, o aumento da produtividade das lavouras. "Concluímos que os preços mundiais de grãos seguem uma tendência de alta, provocada pelos problemas climáticos, baixos estoques e demanda crescente por alimentos no mundo", destacou Bortolozzo.

Norman Borlaug e Kofi Annan

O prêmio e o fórum foram criados pelo pioneiro da biotecnologia Norman Borlaug, agraciado com um Nobel da Paz em 1970 por sua contribuição para o aumento da produtividade na agricultura. Este ano, contou com participação especial do ex-secretário geral da ONU (Organização das Nações Unidas), o sul-africano Kofi Annan, que atualmente é líder da Aliança para a Revolução Verde na África.

O World Food Prize é entregue desde 1986 a notáveis que tenham feito importantes contribuições para a melhoria da qualidade, quantidade e disponibilidade de alimentos e já reconheceu trabalhos realizados em Bangladesh, Brasil (o ex-ministro da Agricultura Allyson Paolinelli e o pesquisador da Embrapa Dr. Edson Lobato foram agraciados em 2006), China, Cuba, Dinamarca, Etiópia, Índia, México, Serra Leoa, Suíça, Reino Unido, as Nações Unidas e os Estados Unidos.

As informações são da assessoria de imprensa da Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho).
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink