Abrapa destaca Pepro de algodão, mas adverte que subsídios devem chegar a R$ 450 milhões

Agronegócio

Abrapa destaca Pepro de algodão, mas adverte que subsídios devem chegar a R$ 450 milhões

Leilão vai comercializar 1 mi/t de pluma
Por: -Lucas Rivas
1134 acessos

Receba Notícias como esta por email

Cadastre-se e receba nossos conteúdos gratuitamente
Obrigado por se cadastrar
  • Enviamos a você um email de boas vindas para ativação de seu cadastro.

A Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) comemorou a confirmação de um leilão de Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro) de algodão para comercializar até um milhão de toneladas da fibra. O ministro da Agricultura, Neri Geller, informou que governo irá subsidiar R$ 300 milhões para realização do leilão. No entanto, a Abrapa havia reivindicado R$ 450 milhões para atender a demanda do setor.

Para o presidente da Abrapa, Gilson Pinesso, caso os recursos não sejam suficientes para escoar a produção da safra 2013/14, um novo repasse deverá vir do Mapa para suprir a demanda.

“Eu acho que estes R$ 300 milhões são muito bem vindos para dar suporte para que os preços não caiam mais. A gente tem certeza, que o governo vai dar o apoio necessário para o restante da safra até porque o setor da cotonicultora é um dos mais importantes e emprega mais de 1,7 milhão de pessoas em todo o país”, disse Pinesso ao Portal Agrolink.

O leilão vai atender principalmente os produtores do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Bahia, Piauí e Maranhão. O preço mínimo fixado da arroba é de R$ 54,90. O presidente acredita que o Pepro deva ocorrer na próxima semana. Em 2013, não foi necessário realizar um leilão em função dos elevados preços da arroba.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink