Aeroclube de Carazinho é referência nacional na formação de pilotos

Agronegócio

Aeroclube de Carazinho é referência nacional na formação de pilotos

Mercado de trabalho está aquecido e entidade tem sido procurada por grandes empresas nacionais que buscam mão de obra qualificada
Por:
2229 acessos
Mercado de trabalho está aquecido e entidade tem sido procurada por grandes empresas nacionais que buscam mão de obra qualificada
Em média o Aeroclube de Carazinho tem formado cem pilotos – agrícolas e comerciais – por ano e praticamente todos saem com expectativa de ingresso imediato no mercado de trabalho. Por causa da sua filosofia de ensino, a escola tem se tornado referência nacional. Várias empresas brasileiras, tanto de aviação agrícola quanto comercial, têm procurado a entidade carazinhense em busca de pilotos e comissário qualificados.
“Além disso, o mercado neste setor está bastante aquecido e por isso estamos conseguindo indicar nossos alunos para grandes empresas de aviação. Atualmente temos mais de 200 alunos vindos de várias partes do Brasil para buscar a qualificação que oferecemos. Existe inclusive lista de espera porque somos referência nacional”, destaca Régis Gaist, diretor de marketing do Aeroclube. “Nossa preocupação com a qualidade de ensino e com a formação dos nossos alunos tem nos tornado referência no setor. Estamos sendo vistos com bons olhos pelo mercado nacional, pois o profissional formado aqui está pronto para ingressar no mercado de trabalho. Inclusive formamos pilotos que hoje estão voando em linhas internacionais”, ressalta.

Com praticamente um ano e meio de curso, o aluno sai do Aeroclube com plenas condições de exercer a profissão de piloto. Gaist destaca que existe incentivo do governo e da própria escola para que o futuro piloto adquira os conhecimentos necessários para o trabalho. “A parte teórica tem duração de quase três meses. A parte prática ele pode quitar de forma particular, conseguir uma bolsa do próprio Aeroclube ou ainda uma bolsa do Governo Federal. Não dá para dizer que é um curso caro, porque existe incentivos para esta formação”, explica, comentando que a aviação não é um universo estritamente masculino. “Em torno de 20% dos estudantes são mulheres. Já formamos pilotos que depois se tornaram professoras no Aeroclube”, informa.

No dia 30 de maio, com aulas à noite e mensalidade de R$ 275,00, terá início uma nova turma de pilotos. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 54-3331-2921.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink