Aged intensifica ações na Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa

Agronegócio

Aged intensifica ações na Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa

Aged e Secretaria da Agricultura realizam diversos dias de campo para conscientizar produtores
Por:
1512 acessos
As ações da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa estão sendo intensificadas pela Agência de Defesa Agropecuária do Maranhão (Aged/MA). O órgão, que é vinculado à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Pesca (Sagrima), está realizando, por meio do Projeto Fazendo Educação, diversos dias de campo para conscientizar produtores, criadores e todos aqueles que estejam envolvidos no setor, quanto à importância da vacinação contra a febre aftosa.


A Campanha de vacinação está acontecendo em todo o estado. Teve início no dia 1º e termina no dia 31. Além de vacinar, o criador deve comprovar a vacinação de seus animais nos escritórios da Aged.

Em parceria com a Federação da Agricultura e Pecuária do Maranhão e o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Faema/Senar), a Aged está realizando mais de 40 cursos com o objetivo de capacitar os próprios criadores e vaqueiros para que sejam vacinadores e multiplicadores dentro dos dias de campo em várias Unidades Regionais do Maranhão.

Segundo a fiscal de Defesa Animal e coordenadora da Educação Sanitária da Aged, Fernanda Albuquerque, a educação sanitária é importante em qualquer programa desenvolvido pelo órgão estadual. "O setor é responsável por promover mudanças de conhecimento, atitudes e comportamento nas pessoas, frente a qualquer problema sanitário. O Projeto Fazendo Educação, por exemplo, é uma ação muito importante nesse contexto, pois ensina as crianças a se tornarem cidadãos esclarecidos e devidamente educados", afirmou Fernanda Albuquerque.

Utilizando os meios de comunicação, apresentação de espetáculos teatrais e ministrando palestras, o projeto já passou pelo município Zé Doca e se concentra, nesse fim de semana, em Viana, Nova Olinda do Maranhão e São Vicente de Férrer.

O diretor Geral da Aged, Fernando Lima, ressaltou a importância de ações proativas dentro da campanha, como ferramentas motivadoras e replicadoras de novos atores na luta contra a febre aftosa. “Os produtores rurais maranhenses estão empenhados e colaborando no sentido de elevar o Maranhão ao 'status' de Zona Livre de febre aftosa com vacinação.


Desde o ano de 2004, o Maranhão é classificado como zona de médio risco contra a febre aftosa, restringindo o mercado da pecuária maranhense, predominantemente de corte.

De acordo com Fernando Lima, cada pessoa envolvida no setor tem que se conscientizar que esta é uma luta de todos. “O Maranhão possui o segundo maior rebanho do Nordeste e com o avanço do status sanitário vai abrir novos mercados nacionais e internacionais, abrindo inúmeras possibilidades econômicas diante de nossas reconhecidas potencialidades e infraestrutura”, ressaltou o diretor geral da Aged.

Para realizar a campanha, foram mobilizadas várias equipes da Aged, formadas por médicos veterinários, fiscais de Defesa Animal, assistentes de Defesa Agropecuária, técnicos agrícolas e auxiliares de campo. São 18 escritórios regionais, 79 unidades veterinárias e 112 escritórios de atendimento à comunidade, além de 13 barreiras zoofitosanitárias.

A governadora Roseana Sarney aposta que o reconhecimento do Maranhão como um estado livre da aftosa será garantido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). “Estamos fazendo o nosso dever de casa o que trará benefícios para a economia do estado e a Aged está pronta para esse desafio”, afirmou a governadora durante o lançamento oficial da campanha, ocorrido no dia 3 de maio, na sede da Associação de Criadores do Maranhão (Ascem).


Áreas Indígenas e Quilombolas

O Maranhão é o segundo estado brasileiro com maior número de terras de quilombo tituladas, superado apenas pelo Pará. De acordo com dados do Centro de Cultura Negra do Maranhão, existem 527 comunidades quilombolas no estado, distribuídas em 134 municípios. Elas se concentram, principalmente, nas regiões da Baixada Ocidental, da Baixada Oriental, do Munim, de Itapecuru, do Mearim, de Gurupi e do Baixo Parnaíba.

A Sagrima estão dando todo o apoio para que a Aged possa acompanhar a vacinação nessas áreas. Só na região de Itapecuru foram disponibilizadas cerca de 1.000 doses para atender às áreas quilombolas do município. Nas áreas indígenas, localizadas nos municípios de Zé Doca, Barra do Corda, Imperatriz e Santa Inês, foram disponibilizadas cerca de 5000 doses da vacina contra a aftosa.

Para o secretário da Sagrima, Cláudio Azevedo, é importante que todos os criadores de bovinos e bubalinos vacinem seus rebanhos, não importando o número de cabeças de animais que eles possuam. “Para atingir a meta de vacinar 100% do gado maranhense, a logística da campanha envolve todas as áreas quilombolas e as 12 áreas indígenas maranhenses”, afirmou Cláudio Azevedo.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink