Agências do BB realizam a prorrogação dos débitos de custeio

Agronegócio

Agências do BB realizam a prorrogação dos débitos de custeio

A repactuação vale para produtores de algodão, arroz, milho, trigo e soja, informa a assessoria de imprensa da superintendência estadual da instituição
Por:
146 acessos

As agências do Banco do Brasil estão aptas a realizar a prorrogação dos débitos de custeio das safras 2003/2004, 2004/2005 e 2005/2006, com dispensa da apuração de incapacidade de pagamento. A repactuação vale para produtores de algodão, arroz, milho, trigo e soja, informa a assessoria de imprensa da superintendência estadual da instituição.

A determinação resultou de negociação entre os órgãos regulamentadores do banco, como ministérios da Agricultura e Fazenda e o Banco Central, visto que cabe ao BB operacionalizar as medidas. No entanto, é imprescindível que o produtor formalize sua solicitação junto à sua agência de relacionamento.

Para formalizar o pedido de prorrogação, até o dia 28 deste mês, basta que o produtor se dirija até a agência e solicite o formulário, que deve ser preenchido com os dados do mutuário e dos fiadores (nome, CPF e assinatura), número da operação, percentual a ser prorrogado e linha de crédito (se investimento ou custeio).

Até o dia 6 deste mês, o Estado tinha contratados para a safra 2007/2008, 85.797 operações, no valor total de R$ 652,4 milhões (entre custeio e investimento). Com a prorrogação das dívidas rurais e a disponibilização de recursos da poupança com taxas de juros controladas (6,75% ao ano), o BB mantém a expectativa de desembolso na safra de verão de aproximadamente R$ 16 bilhões em custeio, conforme previsto no Plano de Safra.

Arrozeiros:

A medida beneficia os arrozeiros gaúchos, que terão acesso facilitado às verbas para a próxima safra. Conforme o presidente do Instituto Rio-grandense do Arroz (Irga), Maurício Fischer, com isto deve haver redução da oferta do produto no mercado, pois os orizicultores estavam pressionados a vender o produto para pagar as parcelas de custeio.

A pauta de reivindicações dos produtores gaúchos foi entregue ao superintendente de Varejo do BB, Ary Joel de Abreu, pelo secretário da Agricultura, Pecuária e Agronegócio, João Carlos Machado. “A decisão da superintendência do Banco do Brasil ratifica a intenção da instituição de ser parceira no crescimento do agronegócio do Estado. Essa atitude demonstra a confiança da instituição no nosso produtor e na vontade de continuarmos crescendo e de fazer da próxima uma safra ainda maior”, observou Machado.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink