Agricultores estão otimistas com o tempo no PR
CI
Agronegócio

Agricultores estão otimistas com o tempo no PR

Ao contrário de 2006, a boa distribuição de chuvas vai ajudar a produção de cereais
Por:

Os agricultores paranaenses não deverão ter dificuldades para colher a safra de verão deste ano, nem para plantar as culturas próprias da chamada safrinha no mês de março. A previsão é da engenheira agrônoma Margorete Demarchi, do Departamento de Economia e Extensão Rural (Deral) da Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento.

Com bases em dados meteorológicos, Margorete comemora o fim da estiagem no verão do Paraná. "Estamos saindo de uma situação caótica, enfrentada nos últimos dois anos, para uma situação mais positiva", observa.

Os dados do Deral apontam para um mês de março com pancadas de chuva em várias regiões paranaenses. "As chuvas excessivas atrapalham e podem provocar perdas. Mas não acreditamos que isso ocorra. Basta o agricultor escolher a hora certa para colher o soja e o milho, e para plantar a batata e o feijão", comenta.

Neste momento, os produtores ainda estão plantando batata, feijão e milho, pensando na safrinha. As colheitas começaram nas culturas de soja (3,4% colhido) e nas primeiras safras de milho (15% colhido), feijão (95,7%) e batata (91,8%).

O excesso de calor preocupa apenas quando não tem chuva. "Se o solo estiver bom, com água, não tem problema que esteja quente. As lavouras de verão suportam o calor, mas não suportam a estiagem. Desde que não ocorram excesso de chuva, chuva torrencial ou tempestade com vento - que acaba deitando o milho. Se chove, pára a colheita. Mas, depois, ela reinicia e o agricultor não tem perdas", explicou a engenheira.

A soja é a cultura menos resistente a período prolongado de chuva (suporta bem entre três e quatro dias de chuva constante). O Paraná tem hoje 3,9 milhões de hectares com soja plantada. O milho safrinha deverá atingir uma cobertura de 1,1 milhão de hectares.

Chuva - O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), com base em dados meteorológicos, anuncia que ainda existe um déficit variando entre 20 e 40 milímetros de chuva na região Sudoeste do Estado.

Nas demais regiões, a água disponível está acima de 75% - o que indica condições favoráveis às culturas de verão e ao plantio de espécies perenes.

Já o Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) informou que o verão é uma estação chuvosa no Paraná - onde ocorrem episódios localizados de curta duração de pancadas de chuva. Muitas vezes acompanhados de vendavais e granizo no Oeste, Sudoeste, Sul, capital e litoral.

Não existe previsão de chuvas torrenciais, acima do limite normal. No Norte do Paraná as condições das chuvas seguem o comportamento do Sudeste brasileiro, com regime de precipitação variando entre próximo a normal ou ligeiramente acima da média em pontos isolados.

Os valores de temperaturas devem seguir a climatologia histórica, com maiores valores sendo registrados entre as regiões Oeste e Sudoeste - o que favorece o regime de chuva típico desta área, com pancadas de chuva intensas e de forma rápida.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink