Agricultores familiares de Sento Sé/BA investem na cultura da mamona

Agronegócio

Agricultores familiares de Sento Sé/BA investem na cultura da mamona

Estimada da produção é de 60 toneladas
Por:
491 acessos
Com a utilização da mamona como matéria-prima para fabricação do biodiesel e o aumento do valor agregado à semente, 40 agricultores familiares de Sento-Sé começaram a explorar a cultura e estão investindo na produção de sementes, além de plantio da cebola. Nesse contexto, a Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), através da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A. (EBDA), intensificou as ações de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), na região, visando melhorar os níveis de produção e produtividade dessa oleaginosa.


A área inicial plantada é de 26 hectares, e o objetivo desta ação é gerar renda extra para as unidades familiares envolvidas, criando condições para a melhoria da qualidade de vida dos agricultores. Com essa finalidade, a EBDA transferiu, para a área de produção desses agricultores, tecnologias que permitam o desenvolvimento econômico da comunidade, a exemplo da variedade MPA11, desenvolvida pela EBDA, a qual, após avaliação em diversos ambientes, no semiárido baiano, apresentou características superiores, quando comparada aos cultivares plantados, no Estado. Entre as qualidades do cultivar, destacam-se a produtividade, a adaptabilidade e a tolerância às principais pragas e doenças.

De acordo com o chefe de escritório da EBDA, em Sento-Sé, Osvaldo Lopes, a empresa vem realizando, junto aos agricultores familiares, atividades periódicas de capacitação, voltadas para a produção de mamona para o biodiesel, tais como: Unidades Demonstrativas (UDs), dias de campo, Unidades de Observação (UOs), visitas técnicas e encontros regionais sobre a cadeia produtiva da mamona.


Expectativa

O campo foi semeado em janeiro/2011, com previsão da primeira colheita ainda para este mês de junho. “Esta é a primeira experiência de produção de sementes de mamona, pela agricultura familiar, no Estado da Bahia, com produção estimada em 60 toneladas”, afirmou Lopes. Disse, ainda, que para atingir a esse número expressivo foi necessário, durante as capacitações, conscientizar os agricultores familiares da importância de ações como a escolha correta do local para produção das sementes, a limpeza do campo (retirando plantas de culturas diferentes), o manejo e os tratos culturais adequados à cultura.

Segundo o gerente Regional da EBDA, em Juazeiro, Fernando Moura, a Bahia ocupa o primeiro lugar no ranking nacional, como produtor de mamona, apesar da produção atual ainda ser considerada baixa, com cerca de 700kg de mamona/hectare. “Apesar de baixa, a produção da oleaginosa, na Bahia, acompanha a média mundial”, informou o técnico. Também afirmou que o potencial produtivo pode ser seis vezes maior, e chegar até quatro toneladas por hectare, quando irrigada.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink