Agricultores familiares vão receber cartilha sobre sementes
CI
Agronegócio

Agricultores familiares vão receber cartilha sobre sementes

A produção do material é parte de convênio firmado entre a Embrapa e o MDA
Por: -Giuliano

A partir de 26 de fevereiro dez mil cartilhas com instruções sobre produção de sementes começarão a ser distribuídas pela Embrapa a associações de agricultores familiares, inclusive de assentamentos da reforma agrária,

extensionistas e representantes de Ongs da região Nordeste do país.

O material foi elaborado pela Gerência de Sementes e Mudas da Embrapa Transferência de tecnologia, com apoio dos Escritórios de Negócios da Empresa em Sete Lagoas/MG e de Goiânia/GO. A produção do material didático é parte de convênio firmado entre a Empresa e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) para o Programa Fome Zero.

As oficinas em que as cartilhas serão entregues marcam o encerramento da primeira etapa do projeto e serão ministradas entre os dias 26 de fevereiro e 2 de março, nas unidades da Embrapa em Aracajú, Petrolina,

Sobral e Imperatriz, especialmente junto a comunidades em que a empresa vem atuando. No entanto, demais comunidades que desejem participar das oficinas poderão se inscrever em data a ser divulgada.

De acordo com o coordenador do projeto, pesquisador da Embrapa Transferência de Tecnologia, Alberto Alves de Santana, o objetivo do material didático é instrumentalizar técnicos de assistência técnica e extensão rural, líderes de associações de agricultores familiares e representantes de Ongs no uso de tecnologia de produção de sementes e no planejamento e organização de Unidades Coletivas de Produção de Sementes.

A maioria dos pequenos agricultores utiliza grãos da colheita do ano anterior, selecionados com emprego de processos passados de geração para geração para produção da semente, resultando em baixos retornos. Já o

uso de sementes de melhor qualidade pode significar aumento de produtividade das lavouras, redução de custos, e até mesmo a comercialização do excedente da produção.

É o que já fazem os agricultores dos assentamentos Carlos Lamarca, em Simão Dias, e Santo Antônio, em Carira, ambos no Estado de Sergipe. Animados com os resultados obtidos a partir da produção de sementes em

conjunto com a Embrapa e o Deagro-SE, os agricultores começam a ser movimentar para criar uma associação e viabilizar a comercialização das sementes multiplicadas coletivamente.

Segundo adianta o gerente-geral da Embrapa Transferência de Tecnologia, José Roberto Rodrigues Peres, a idéia é que a Empresa passe a contratar também associações de agricultores familiares para produção de sementes

básicas, “desde que atendam aos pré-requisitos da Lei de Sementes e sejam credenciados junto ao Ministério da Agricultura”, explica.

O treinamento de 250 técnicos e agricultores familiares na tecnologia de multiplicação de sementes resultou na produção de nove toneladas de sementes (quatro de feijão e cinco de milho) nos assentamentos da reforma agrária alcançados pelo projeto, beneficiando cerca de mil famílias. Com esse quantitativo de sementes será possível plantar uma área de 4.500 hectares.

Segundo Alberto, os agricultores de Sergipe compravam sementes de milho provenientes de Minas Gerais por um custo médio de 12 reais o quilo. A partir da ação da Embrapa, as sementes estão sendo distribuídas na comunidade ao preço de 2 reais, gerando uma economia no custo de produção de 90 mil reais. Sem contar que as sementes são variedades precoces especialmente desenvolvidas para o semi-árido pela Embrapa.

Ainda dentro do projeto desenvolvido em convênio com o MDA para o Programa Fome Zero, 20 jovens agricultores foram envolvidos no levantamento de variedades crioulas de feijão no Ceará. O trabalho teve coordenação da Embrapa Caprinos e a participação da Cáritas Diocesana e do Sindicato de Produtores de Tauá. A pé, de bicicleta e de moto, os jovens saíram pelo sertão do Inhamuns perguntando o quê e por quê os agricultores escolhiam as variedades que plantavam e conseguiram relacionar 72 espécies. As informações são da assessoria de imprensa da Embrapa.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink