Agricultores no PI aproveitam umidade do solo para recuperar parte das perdas

Agronegócio

Agricultores no PI aproveitam umidade do solo para recuperar parte das perdas

Agricultores da zona rural de Teresina, que tiveram prejuízos com a enchente, estão recebendo sementes para um novo plantio
Por:
204 acessos

Agricultores da zona rural de Teresina, que tiveram prejuízos com a enchente, estão recebendo sementes para um novo plantio. Eles querem aproveitar a umidade das áreas de vazante para recuperar parte das perdas.

O agricultor Adaildo Braga tem um pequeno terreno na zona rural de Teresina. Em Janeiro, plantou feijão, mas perdeu tudo com as enchentes que em maio destruíram as lavouras e deixaram mais de 60 mil pessoas desabrigadas no Estado.

Passada a época das chuvas, plantar novamente não é o comum por ser período de estiagem. A falta de chuvas pode comprometer o crescimento das lavouras. Mas a área que foi alagada se transformou em terra fértil. A umidade do solo é o que vai garantir o crescimento da planta sem depender tanto do regime de chuvas.

“Quando as águas baixarem a gente se aproveita a umidade que fica no solo, suficiente para resolver a cultura. Na medida em que vai se aprofundando, vai se conseguindo mais solo úmido”, explicou o agrônomo Judivan Paz.

Na medida em que a água vai baixando os agricultores da região vão iniciando o plantio. Como o último período chuvoso foi intenso, pela região será possível colher feijão e milho até o final do ano. É um alívio para quem perdeu quase tudo com a cheia.

As sementes serão distribuídas pela prefeitura para os agricultores até o final de junho. Cada família receberá cinco quilos de feijão e três quilos de milho. “Nós fizemos uma estimativa inicial em torno de 763 famílias. Já passamos. Já estamos com mais de 800. Nos parece que chegaremos a mais de mil famílias atendidas”, disse Nonato Pereira, superintendente de Desenvolvimento Rural de Teresina.

Na margem do rio Parnaíba, sessenta famílias já iniciaram o plantio com as sementes que receberam do governo. Todos trabalham animados, esperançosos com a colheita, que começará em dois meses.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink