Agricultores visitam experiências inspiradoras em produção de leite em Fagundes Varela

Leite

Agricultores visitam experiências inspiradoras em produção de leite em Fagundes Varela

Emater/RS-Ascar e a Prefeitura de Serafina Corrêa, através da Secretaria de Agricultura, organizaram uma excursão ao município de Fagundes Varela
Por:
66 acessos

Com o objetivo de conhecer experiências de sucesso em pequenas propriedades produtoras de leite, a Emater/RS-Ascar e a Prefeitura de Serafina Corrêa, através da Secretaria de Agricultura, organizaram uma excursão ao município de Fagundes Varela na quinta-feira (21/03), levando bovinocultores de leite de Serafina Corrêa. Os cerca de 20 participantes visitaram quatro famílias pecuaristas de leite em Fagundes Varela que participam do Grupo de Trabalho em Bovinocultura de Leite (GT Leite), formado por famílias integrantes do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar. 

O engenheiro agrônomo da Emater/RS-Ascar, Leandro Ebert, explica que em 2017, quando atuava no município, a partir do trabalho realizado com essas famílias em intensificação do uso de pastagens para melhorar a atividade leiteira, foi formado o grupo. Dessa forma, o GT Leite propõe a intervenção direta nas propriedades assistidas, visando alcançar resultados efetivos, aliados à apropriação dos conhecimentos pelas famílias participantes. 

A primeira propriedade visitada foi a da família Taglian, na comunidade de São Jorge. O agrônomo ressalta que a propriedade é uma referência em produção de leite a baixo custo, obtendo boa rentabilidade em condições de relevo acidentado e área limitada. O trabalho com essa família iniciou em 2015, quando decidiram recuperar o solo e implantar pastagens com a orientação da Emater/RS-Ascar. Edivaldo Taglian, sucessor familiar, relata que "a família não aceitava muito bem as recomendações do extensionista, e que quando iniciaram as mudanças na propriedade tiveram dificuldades em mudar a forma como trabalhavam com a produção de leite". 

Desde então, a situação mudou bastante. Em 2014 a família produzia cerca de 230 litros por dia, com 18 vacas Jerseys e, em 2018, produziram quase 400 litros por dia, a um custo de R$ 0,49 por litro produzido, em uma área destinada à produção de apenas 5,5 hectares.

O segredo da família é a produção intensiva de pastagens. Em 2018, a família produziu mais de 26 mil litros de leite por hectare, o dobro do que produzia em 2014, antes das mudanças propostas pela Extensão Rural. "A família investiu muito em fertilidade do solo, uso de pastagens perenes de alta qualidade nutricional, sobressemeadura, implantação de forrageiras leguminosas e manejo das pastagens e do rebanho, obtendo assim uma renda agrícola de R$ 14 mil por hectare, muito acima da obtida em 2018 pelos produtores de Serafina Corrêa analisados pela Instituição, que na média ficou em cerca de R$ 3,5 mil, e com um custo de produção de leite médio de R$ 1,10 por litro, também muito elevado", explica o engenheiro agrônomo. 

Na sequência, os participantes ainda visitaram as famílias de João Carlos Dalla Líbera e Márcia Roman, a família Binda, de Ivânia, José e Tiago, e a família Lazzari, de Edemar e Rosane, onde puderam conhecer a experiência de cada família a partir do trabalho da Extensão Rural. As famílias Taglian, Dalla Libera e Binda estão no e-book "Produção de leite no Rio Grande do Sul, 105 histórias inspiradoras da agricultura familiar", disponível no link: http://www.emater.tche.br/site/arquivos_pdf/teses/Producao_leite_RS.pdf

De acordo com Ebert, a proposta agora é aproveitar a experiência realizada com esses produtores em Fagundes Varela e fazer um trabalho similar com pecuaristas de leite de Serafina Corrêa que participam do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar. "Já reunimos esses produtores de Serafina previamente, discutimos os dados produtivos e econômicos, formamos um grupo de whatsapp para nossa comunicação e estamos usando um aplicativo para controle mensal de indicadores da atividade leiteira, a exemplo do que é feito em Fagundes Varela com o GT Leite. Também já estamos desenvolvendo um trabalho em algumas propriedades e agora que as famílias puderam conhecer essas experiências inspiradoras em Fagundes Varela, pretendemos intensificar as ações e consolidar o trabalho com um GT Leite de Serafina Corrêa", destaca Ebert.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink