Agricultura de precisão cada vez mais essencial

Agronegócio

Agricultura de precisão cada vez mais essencial

Empresas estão investindo fortemente neste segmento
Por:
1464 acessos
Quando se fala em agricultura de precisão, o produtor pode pensar prontamente em equipamentos caros e desnecessários para sua propriedade. Entretanto, este conceito vem mudando nos últimos anos e as empresas estão investindo fortemente neste segmento de tecnologia. Os sistemas prometem controle pontual das máquinas que estão na lavoura, com uma análise de dados eficiente, o que permite o controle exato dos gastos com insumos e também avaliação da produtividade.


Dentre os produtos que estão à frente das vendas desse nicho que ainda tem muito o que crescer no País, estão a barra de luz (ou GPS) e o piloto automático. Através do GPS, o produtor consegue guiar a sua máquina num percurso de reta ou curva, por exemplo, controlando a aplicação de defensivos. ''Este é um nicho de mercado forte para os pequenos e grandes produtores. Em 2011, esperamos vender duas mil barras de luz no País'', revela Denny Perez, gerente de vendas da New Holland.

Junto ao GPS, o produtor pode ainda investir no piloto automático, que facilita a tarefa na propriedade, com alta precisão, e sem desperdícios de insumo. Além disso, o conjunto pode fornecer o controle na aplicação em taxa variável de líquidos e sólidos, no que diz respeito às aplicações de nutrientes após a análise de solo. ''Dessa forma, não há desperdícios de produtos. Para aplicações de nutrientes no solo, a redução dos custos pode chegar até 50%'', comenta Perez.


Ricardo de Carli, produtor de grãos em Palotina (PR), resolveu investir no GPS e no piloto automático em sua propriedade de 110 alqueires. Ele comenta que não há sobreposição de faixas no momento das aplicações dos defensivos, o que evita desperdícios. ''Além disso, já posso entrar aplicando com o trator, sem fazer marcações. Com isso, economizo 3% ou 4% com os defensivos em cada aplicação que realizo'', calcula Carli.

Ele ressalta ainda que o investimento de cerca de R$ 25 mil nos aparelhos está sendo recompensado. ''Ainda há uma economia de mão de obra. Posso colocar os meus funcionários para fazerem outros serviços. Em três ou quatro anos o investimento se paga. Para mim, agricultura de precisão é tão essencial como um trator ou uma plantadeira'', completa Ricardo, que deve colher cerca de 150 sacas de soja por alqueire nos próximos dias, batendo a média histórica da região de 120 sacas.
Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink