Agricultura tem a maior alta na geração de empregos no DF

Empregos

Agricultura tem a maior alta na geração de empregos no DF

Dado de janeiro de 2018 faz comparação com o próprio setor em relação a dezembro
Por: -Aline Merladete
16 acessos

O Distrito Federal (DF) é conhecido pelo grande número de funcionários públicos e pela economia baseada, principalmente, no setor de serviços. Apesar disso, a agricultura da região mostra que, além de contribuir com alimentos saudáveis e produzidos com tecnologia de ponta, pode se superar e ser a que teve a maior taxa de crescimento percentual na geração de empregos.

Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego, o saldo foi positivo em 1,7% em janeiro, número a ser comemorado, pois historicamente a agricultura não tem taxas expressivas na geração de empregos no DF. Outros setores, como Serviços Industriais de Utilidade Pública e Comércio, tiveram redução nos postos de trabalho; -0,57%  e -0,47% - respectivamente.   

Para quem é de fora da capital federal ou não a conhece, muitas vezes, tudo parece se resumir à Esplanada dos Ministérios e monumentos modernos. No entanto, essa imagem do Distrito Federal começou a mudar com a criação da AgroBrasília. A Feira Internacional dos Cerrados contribui de forma decisiva na geração de emprego e renda. Ao disponibilizar acesso a maquinários com tecnologia de ponta e espaços com demonstração de técnicas de plantio e criação eficientes, a AgroBrasília colabora para dinamizar a economia local e nacional.

Leomar Cenci, presidente da Cooperativa Agropecuária da Região do Distrito Federal (Coopa-DF), realizadora da AgroBrasília, afirma que a tecnologia é aliada na geração de emprego.  ‘‘O agronegócio, no geral, vive um bom momento. No DF não é diferente e a geração de renda e emprego acontece naturalmente. Mais renda para o produtor é mais emprego no campo. E, talvez, seja um diferencial o grau de investimento, feito nos últimos anos, em tecnologia embarcada, principalmente nas máquinas e equipamentos, que gera uma demanda de mão de obra mais qualificada’’, destaca. 

O presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Distrito Federal (Fape-DF), Joe Valle, faz avaliação semelhante. Para ele, as novas tecnologias trazidas à Feira também são oportunidades de geração de emprego e renda. ‘‘O agronegócio sempre faz a diferença nos momentos difíceis. E aqui no Distrito Federal não é diferente. É muito importante, para nossa capital, ter a AgroBrasília. Isso ajuda muito, porque a Feira traz novas tecnologias que são incorporadas pelos produtores rurais e que permitem a geração de mais renda e, consequentemente, mais postos de trabalho’’, ressalta.  


Em 2017, a Feira abriu espaço para 430 expositores e recebeu 99 mil visitantes, movimentando R$ 710 milhões em volume de negócios. Em 2018, a AgroBrasília chega a sua 11ª edição e acontece entre 15 e 19 de maio. A entrada é franca.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink