Agrishow deve lançar R$ 12 milhões em Rondonópolis (MT)

Agronegócio

Agrishow deve lançar R$ 12 milhões em Rondonópolis (MT)

Presidente da Feira, Hugo Ribeiro, frisa que é muito "prematuro" cogitar cifras de negócios
Por:
3 acessos

A Fundação MT e a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) estão em contagem regressiva para a abertura da quarta edição da Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação, a Agrishow Cerrado, em Rondonópolis (210 quilômetros ao Sul de Cuiabá), que neste ano traz como tema "O agronegócio rompendo fronteiras". Ontem, no salão nobre do Palácio Paiaguás, em Cuiabá, a edição foi lançada e a data de 19 a 23 de abril ratificada.

Os organizadores consideram a projeção de volume de negócios "prematura" para este momento difícil do agronegócio, e em clima de otimismo, não descartam a possibilidade de empatar as cifras do ano passado, R$ 1,4 bilhão, o maior volume obtido em 2004 entre as feiras do sistema Agrishow.

Para esta edição, 98% dos 270 estandes já estão comercializados. Antes mesmo da realização, a Feira tem dois números consolidados: oferta cerca de 2 mil empregos temporários e injeção de R$ 12 milhões na economia de Rondonópolis e de cidades mais próximas, principalmente em função das locações de imóveis, hospedagens e alimentação.

O presidente da Agrishow, Hugo Ribeiro, destaca que a edição Cerrado manterá o propósito de difundir novas tecnologias, que neste ano especialmente, terá atenção para manejo de solo e sementes e de maneira inédita, serão apresentadas variedades de soja transgênica - em função da recente aprovação da Lei de Biossegurança - "e como outro suporte ao produtor, palestras sobre operação no mercado futuro, sem esquecer do espaço cativo para a diversificação da cadeia produtiva do pequeno agricultor", explica. Além de transgênicos, o presidente destaca que durante a Agrishow Cerrado, o produtor terá oportunidade conhecer materiais convencionais de alta produtividade, como também, novidades no controle da Ferrugem Asiática. "Doença com custo altíssimo para a lavoura".

Com relação aos transgênicos, Ribeiro adianta, que depois de anos de pesquisa, a Fundação MT terá respaldo legal, para lançar, mesmo em pequenas quantidades, variedades geneticamente modificadas. "Para a próxima safra acredito que tenhamos cerca de seis variedades que poderão começar a ser multiplicadas entre nossos associados. Com isso, em dois anos poderemos ter mais quantidades para atender ao mercado".

O governador Blairo Maggi destacou que sempre defendeu a realização, mesmo porque, foi durante sua gestão a frente da Fundação, que se pleiteou uma versão para Mato GRosso. "A Feira possibilita que concretizemos uma meta traçada para o setor agrícola mato-grossense, a de aumentar, a cada safra, a produtividade em 3%. Mesmo que sejam momentos de adversidades, não deixamos de produzir e agora, felizmente, temos um momento mais favorável ao setor, com o acréscimo dos preços internacionais da soja, valorização do dólar e com a prorrogação da parcela 2005, dos investimentos rurais".

POLÊMICA - O coordenador da Feira, Romão Viana, frisa que em nenhum momento o cancelamento da Feira veio à pauta da organização, e que a Feira é uma demanda dos produtores. Segundo ele, a Fundação MT congrega mais de 75% dos sementeiros do Estado. "e todos eles são favoráveis a realização. E é por isso que estamos lançado a Agrishow Cerrado, agora e em Cuiabá". Viana destaca que todos os expositores do ano passado confirmaram presença. "O expositor quer virá, mesmo sabendo do risco de não comercializar seus maquinários e ou suas tecnologias. Eles (expositores) entendem que a Feira é um momento que une os elos da cadeia e que em um período desfavorável, o mais importante é agregar tecnologia, seja mecanizada ou de produção. Para o próximo ano, redução de custo será lei", justifica.

Viana confirma que esta edição, pelo desequilíbrio financeiro do setor, consolidará uma Agrishow diferente, em relação às edições passadas, com muitas informações e tecnologias voltadas para a manutenção da alta produtividade, qualidade e redução de custo, "com o suporte de palestras que trarão, justamente, informações para o enfrentamento deste tempo difícil.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink