Agrishow privilegia a agricultura familiar


Agronegócio

Agrishow privilegia a agricultura familiar

Por:
1 acessos

Foi lançada ontem a 10 edição da Agrishow - Feira de Tecnologia Agrícola em Ação. O evento, um dos três maiores do mundo do agronegócio, ocorrerá em Ribeirão Preto entre 28 de abril e 3 de maio. Embora reúna os maiores agricultores e fabricantes de máquinas e implementos agrícolas, o evento terá como foco desta vez a agricultura familiar, uma clara indicação de apoio dos organizadores ao governo de Luiz Inácio Lula da Silva, que visita a feira em 2 de maio.

"A renda no campo, o mercado de commodities, a produtividade e o volume de financiamento para investimentos no agronegócio são variáveis que, felizmente, estão em ascendência", diz Fabrício Rosa de Morais, presidente da câmara setorial de máquinas e implementos agrícolas e diretor da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas (Abimaq), uma das organizadoras. A feira, diz Sérgio Magalhães, presidente da Agrishow, deve reunir 550 expositores (80 do exterior), 140 mil visitantes e movimentar R$ 1,2 bilhão. Em 2002, a Agrishow teve 450 expositores, 130 mil visitantes e girou R$ 1 bilhão.

Além de negócios, a Agrishow - idealizada pelo atual ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues - tem sido nos últimos anos o ambiente ideal para o pleito de agricultores e de fabricantes de máquinas agrícolas. Desta vez, os organizadores têm três pedidos principais. Um é a isenção do IPI para máquinas agrícolas. "Até 2001, estávamos isentos do imposto, que voltou a 5%", afirma Morais, que também é diretor da Jumil-Justiço de Morais Irmãos S.A., tradicional fabricante de implementos agrícolas de Batatais, no interior paulista.

Outro pleito é o aumento de recursos do Moderfrota, linha de financiamento de tratores, colheitadeiras e implementos, para R$ 2,8 bilhões, o que deverá ser anunciado pelo ministro Rodrigues na feira.

O terceiro pedido é voltado diretamente à agricultura familiar. Eles querem que a Pronaf Investimentos, linha de financiamento com juros de 4,5% ao ano destinada aos produtores com renda bruta anual de até R$ 27 mil, não seja limitada pela renda, mas pela área.

"Limitar o financiamento pela renda induz o produtor a ficar pobre pelo resto da vida", diz Morais. Ele informa que os recursos da Pronaf Investimentos (também limitados ao máximo de R$ 15 mil por produtor) são de responsabilidade do Ministério de Desenvolvimento Agrário, e não o da Agricultura. Morais sugere a criação de fundo de aval para os pequenos produtores. "Essa gente está praticamente fora da economia e precisa ser incorporada a ela." Morais aposta que o País produzirá 120 milhões de toneladas de grãos na próxima safra.

A Agrishow é realizada no Pólo de Desenvolvimento Tecnológico Centro-Leste, numa área de 240 hectares, sendo 200 hectares reservados para a realização de 880 demonstrações de máquinas. Neste ano, o espaço para a pecuária foi dobrado para 2,5 hectares, a serem ocupados por 150 expositores.

Vinte universidades e várias empresas e institutos de pesquisas ocuparão o Pavilhão de Tecnologia. Na região de Ribeirão Preto, praticamente todos hotéis estão reservados há mais de um mês aos visitantes.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink