Agroceres Multimix debate micotoxinas durante XV Brasil Sul de Avicultura
CI
Agronegócio

Agroceres Multimix debate micotoxinas durante XV Brasil Sul de Avicultura

Evento ocorre entra 08 e 10 de abril
Por:
Evitar perdas de produtividade em decorrência de micotoxinas e fortalecimento do sistema imunológico das aves são apontados entre os benefícios do uso de adsorventes na avicultura

A qualidade de matérias-primas para ração e o risco de contaminação por micotoxinas é hoje um dos mais importantes desafios da avicultura, explica o médico veterinário e Gerente de Marketing da Agroceres Multimix, Victor Walzberg. O especialista explica que a seca nas regiões sul e sudeste levaram a uma quebra de safra de milho nestas regiões, levando a procura por milho do Mato Grosso, que por sua vez, foi colhido em época de muita chuva. “Isso significa que estes grãos foram colhidos com excesso de umidade, favorecendo a ocorrência de micotoxinas”, pontua.

Debater as mais recentes tecnologias em nutrição animal para aves, além dos desafios e oportunidades da avicultura são os principais objetivos da participação da Agroceres Multimix no XV Simpósio Brasil Sul de Avicultura, que vai acontecer nesta semana, de 8 a 10 de abril, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, em Chapecó, Santa Catarina.

A empresa vai participar com sua equipe técnica e de campo atendendo a dúvidas de participantes em seu estande, além de aproveitar o simpósio para uma atualização técnica dos profissionais, disse. “Este evento tem o perfil que gostamos de apoiar, pois é um evento técnico focado na divulgação de tecnologias de fácil aplicação prática, é muito voltado ao dia a dia no campo”, disse.

Micotoxinas na avicultura 
Queda de produtividade das aves é uma das principais consequências de contaminação por micotoxinas destacadas pelo veterinário. “As aves param de se alimentar resultando em uma queda de produção, levando até a morte dos animais em casos extremos”.

Diante deste quadro, o especialista recomenda o uso de análises bromatológicas de matéria-prima, especialmente falando do milho, para avaliar o nível de umidade do grão. “A análise de laboratório é um procedimento rápido e fácil de fazer. Um nível seguro é de grãos com umidade abaixo de 12%. Acima disso, é recomendado que o produtor avalie a presença de micotoxinas ou inicie o uso de adsorventes”.

Ele defende o uso do milho e da soja disponíveis, mesmo considerando os problemas decorrentes da alta umidade. Para viabilizar esta estratégia, existem os adsorventes de micotoxinas. “Com esta tecnologia, os problemas com micotoxinas são gerenciáveis. Outra vantagem do adsorvente é que ele contribui com fortalecimento do sistema imunológico das aves, o que é muito importante já que a ocorrência de micotoxinas reduz a imunidade das aves, deixando-as propensas a uma série de outras enfermidades”.

Adsorventes de micotoxinas
A Agroceres Multimix disponibiliza no país uma linha de adsorventes que combate as três principais classes de micotoxinas, a aflatoxina, a fumonisina e a zearalenona. “A linha AgFix zea3é extremamente pura, além de ter a granulometria mais fina do mercado, o que significa uma eficiência muito maior em função de atingir maior área de superfície de contato. Outro benefício deste produto é o mais amplo espectro, neutralizando todas as micotoxinas importantes”, explicou Walzberg.

A linha de adsroventes de micotoxinas AgFix é um dos destaques da Agroceres Multimix durante o XV SBSA, que vai acontecer até quinta-feira, dia 10 de abril, em Chapecó, Santa Catarina.

Serviço:
Estande da Agroceres Multimix – XV SBSA

Data: de 8 a 10 de abril 
Local: Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo de Nes, Chapecó, SC

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink