Agronegócio exportou US$ 22,3 bilhões até setembro
CI
Agronegócio

Agronegócio exportou US$ 22,3 bilhões até setembro

Por:

O agronegócio brasileiro exportou o equivalente a US$ 22,37 bilhões entre janeiro e setembro, o que representa um crescimento de 24,6% sobre os US$ 17,9 bilhões registrados pelo setor em igual período do ano passado. As exportações do agronegócio representaram 42,4% do total das exportações brasileiras no período (US$ 52,79 bilhões), indica estudo da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

O chefe do Departamento de Comércio Exterior da CNA, Antonio Donizeti Beraldo, destaca que houve crescimento de exportações ano em todos os principais itens da agropecuária. O complexo soja (grão, farelo e óleo) exportou 28,7 milhões de toneladas (US$ 6,31 bilhões) nos primeiros nove meses deste ano; frente 23,5 milhões de toneladas (US$ 4,52 bilhões) em igual período de 2002. Houve, portanto, um crescimento de 39,5% em faturamento e de 22,1% em volume. O setor de soja foi beneficiado pela recuperação dos preços internacionais. O preço médio pago ao complexo soja entre janeiro e setembro deste ano foi de US$ 219,4 por tonelada; contra US$ 192,0 por tonelada, conforme preço médio do mesmo período de 2002.

O segundo lugar em exportações foi ocupado pelo complexo carnes, que exportou o equivalente a 2,8 milhões de toneladas nos primeiros nove meses deste ano, em crescimento de 24,8% na comparação com os 2,2 milhões de toneladas em igual período de 2002. O faturamento do setor com essas exportações atingiu US$ 4,68 bilhões entre janeiro e setembro; ou seja, 17,7% a mais que os US$ 3,97 bilhões registrados em igual período do ano passado. No complexo carnes, entretanto, houve quedas nos preços médios pagos em segmentos específicos, como no setor de carne bovina, que recebeu o preço médio de US$ 1.672 por tonelada entre janeiro e setembro deste ano; em queda de 5,73% na comparação com o preço médio de US$ 1.774 por tonelada praticado em igual período de 2002. O aumento do volume de exportações, entretanto, compensou a queda dos preços pagos ao setor, diz Beraldo.

O complexo de madeiras e subprodutos ocupou o terceiro lugar no ranking de exportações, com vendas de US$ 3,93 bilhões até setembro; 28,3% a mais que os US$ 3,07 bilhões registrados entre janeiro e setembro do ano passado. O setor de café obteve US$ 1,086 bilhão com exportações do período, em crescimento de 16,6% na comparação com os US$ 931 milhões registrados em igual período do ano passado. Essa recuperação reflete a melhora dos preços médios pagos ao setor. O valor médio por tonelada, entre janeiro e setembro deste ano, foi de US$ 1.031; frente US$ 836 por tonelada, em igual período do ano passado. O segmento de suco de laranja exportou US$ 916 milhões até setembro, contra US$ 740 milhões, entre janeiro e setembro de 2002.

As importações do agronegócio, entre janeiro e setembro, atingiram US$ 3,53 bilhões; em crescimento de apenas 4,5% na comparação com os US$ 3,38 bilhões registrados em igual período do ano passado. O maior aumento de importações envolveu o arroz, com compras de 787 mil toneladas no período, frente 492 mil toneladas em igual período do ano passado.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink