Agronegócio responde por 73% do saldo comercial brasileiro
CI
Agronegócio

Agronegócio responde por 73% do saldo comercial brasileiro

O setor registrou saldo de US$ 42,726 bilhões, com crescimento de 13,04%
Por:

O agronegócio brasileiro respondeu por 73% do superávit (saldo positivo) comercial alcançado pelo país no ano passado, que chegou a US$ 46 bilhões. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Luiz Carlos Guedes Pinto, anunciou nesta sexta-feira (05-01) que o agronegócio, sozinho, registrou saldo de US$ 42,726 bilhões, com crescimento de 13,04% sobre o superávit do agronegócio em 2005.

Os setores que mais colaboraram para isso foram os do complexo soja, com saldo de US$ 9,37 bilhões, embora com queda de 1,7% na comparação com o ano anterior; carnes (US$ 8,05 bilhões, + 5,5%); produtos florestais (US$ 5,97 bilhões, + 9,4%); açúcar e álcool (US$ 4,68 bilhões, + 65,9%); café (US$ 2,92 bilhões, +14,9%) e produtos de couro e peleteria (US$ 2,88 bilhões, +13,7%).

O ministro disse que as perspectivas para este ano são ainda melhores, uma vez que os preços mundiais da soja e do milho estão se recuperando, e as condições climáticas no Brasil são favoráveis. “Vamos ter uma safra de grãos ligeiramente maior que na safra passada, na ordem de 121 milhões de toneladas de grãos”, afirmou o ministro. Para ele, é uma condição favorável para “garantir o abastecimento interno e aumentar as exportações do setor”.

De acordo com o ministro, as exportações de carnes registraram crescimento “acima do esperado”, por causa do surto de febre aftosa, em outubro de 2005, com suspensão de compras por alguns países, nos primeiros meses de 2006. Passado o impacto inicial, a venda de carne bovina brasileira aumentou 60,8% no ano, compensando com larga margem a queda de 21% nas vendas externas de carne de frango. As vendas de carne suína cresceram 5%.

Guedes ressaltou que o desempenho acusa maior expansão das exportações do complexo sucroalcooleiro, que cresceram 65,9%, com vendas de açúcar no valor de US$ 6,2 bilhões. As vendas externas de álcool mais que dobraram, com receita de US$ 1,6 bilhão em 2006, contra US$ 765 milhões no ano anterior.

As importações de produtos agrícolas atingiram US$ 6,69 bilhões em 2006, com aumento de 31% sobre 2005, ao passo que as exportações totais somaram US$ 49,422 bilhões, o que equivale a 36% de tudo que o Brasil vendeu lá fora no ano passado. Os produtos que mais se destacaram nas importações foram trigo (US$ 989 milhões), borracha natural (US 385 milhões), arroz (US$ 174 milhões), algodão (US$ 101 milhões) e milho (US$ 79 milhões).


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink