Agropalma é premiada por ações em prol do desenvolvimento sustentável na Amazônia

Agronegócio

Agropalma é premiada por ações em prol do desenvolvimento sustentável na Amazônia

O prêmio reconhece empresas que conciliam o crescimento econômico com a preservação do meio-ambiente
Por:
688 acessos

Destinado a empresas e projetos que buscam soluções para a região amazônica e se destacam por ações que contemplam o empreendedorismo aliado à biodiversidade e à economia sustentável, o prêmio Samuel Benchimol e Banco da Amazônia de Empreendedorismo Consciente de 2016 acaba de conceder a honraria à Agropalma S/A na categoria “Empresa na Amazônia”.

A homenagem é concedida a empresas da região amazônica que atuam para fortalecer as cadeias produtivas dos setores que conduzem ao desenvolvimento e ao aproveitamento comercial da biodiversidade da região, ambos de forma sustentável.

Para Marcello Brito, diretor executivo da Agropalma, o prêmio vem ao encontro dos esforços da empresa de exercer, com responsabilidade, um papel ímpar na economia da região amazônica, inclusive no desenvolvimento das comunidades. “Nos sentimos prestigiados com a premiação e a recebemos com muito orgulho e contentamento.”

Há mais de 30 anos na região amazônica, mais especificamente no Pará, a Agropalma mantém 39 mil hectares de palmeiras plantadas e 64 mil hectares de reservas florestais. Ao redor das fazendas, existem 27 pequenas comunidades, onde estão localizadas as casas de muitos dos funcionários da empresa, pequenos agricultores e fornecedores.

A Agropalma atua também na capacitação de fornecedores para que possam manter negócios viáveis, de forma a assegurar o fornecimento de produtos e serviços de qualidade, atendendo às conformidades legais. Além de contribuir para o empoderamento das populações do entorno das instalações físicas da empresa, a Agropalma também adota boas práticas para o manejo sustentável da água.

A iniciativa do Prêmio recebe o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) por meio do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT); do Ministério da Integração Nacional (MI), das Federações de Indústrias da Região Amazônica e Fundações de Amparo a Pesquisa.

O nome Samuel Benchimol faz referência ao professor, escritor e pesquisador, cuja trajetória foi dedicada ao estudo da formação econômica da Amazônia, do ciclo da borracha ao processo de industrialização com a Zona Franca de Manaus.

A cerimônia de premiação, que contempla outras sete categorias – além do “Empresa na Amazônia” -, foi realizada em Belém no último dia 28 e comemora também os 400 anos da capital paraense.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink