Agrotóxicos contrabandeados ameaçam aqüíferos em MS
CI
Agronegócio

Agrotóxicos contrabandeados ameaçam aqüíferos em MS

Os defensivos agrícolas organoclorados estão proibidos no Brasil, mas ainda são utilizados na região de fronteira
Por:

Os pesticidas contrabandeados ameaçam os aqüíferos Serra Geral e Guarani no Estado. De acordo com o geólogo e professor da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), Giancarlo Lastoria, os defensivos agrícolas organoclorados estão proibidos no Brasil, mas ainda são utilizados na região de fronteira.

O produto, cujo princípio ativo atua por mais tempo, contamina o solo e chega até o aqüífero Serra Geral, que, por sua vez, tem conexão com o Guarani. “A persistência do princípio ativo é muito grande. São anos, anos e anos”, salienta o professor. Conforme Lastoria, um outro estudo, realizado no distrito de Culturama, identificou pesticidas em águas subterrâneas.

Giancarlo Lastoria, que apresentou palestra durante o 4º Seminário de Águas, realizado na Assembléia Legislativa, é autor de uma tese de doutorado que comprovou a conexão entre as águas dos aqüíferos. “Há muitos mitos de que o Aqüífero Guarani tem água de excelente qualidade, é inesgotável e está totalmente protegido. Mas não é assim”, enfatiza. Em alguns pontos, por exemplo, água do aqüífero não apresenta padrões de potabilidade. O Aqüífero Guarani possuo 800 mil km² de área, sendo a maior parte no subsolo do Estado.

O seminário internacional, que acontece até amanhã, discute águas, energia, aquecimento global e agricultura.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.