Alexandre Schenkel toma posse na presidência da Ampa

Agronegócio

Alexandre Schenkel toma posse na presidência da Ampa

Evento contou com a presença do Ministro da Agricultura
Por:
873 acessos

Diretoria para o biênio 2017/18 é empossada em solenidade com presença do ministro Blairo Maggi, do governador Pedro Taques, parlamentares e lideranças do setor
 
A diretoria da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) para o biênio 2017/18 tomou posse nesta quinta-feira (8 de dezembro), em Cuiabá, num evento com a participação de aproximadamente 500 pessoas.  Gustavo Viganó Piccoli transmitiu o cargo ao produtor Alexandre Pedro Schenkel numa solenidade que contou com as presenças ilustres do ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, do governador Pedro Taques, dos deputados federais Adilton Sachetti e Nilson Leitão (vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária), dos deputados estaduais Dilmar Dal'Bosco, Janaína Riva e José Carlos do Pátio, e de diversos representantes do setor produtivo, entre eles, Arlindo Moura (recém-empossado como presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão – Abrapa) e Rui Prado, presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato).

A importância da cotonicultura para a economia mato-grossense e a posição de Mato Grosso como o maior produtor de pluma do país foram enfatizadas em vários momentos da cerimônia. Em seu discurso, o ministro Blairo Maggi, primeiro presidente da Ampa, destacou o papel do amigo Cloves Vettorato, que foi um dos principais articuladores do Programa de Apoio ao Algodão de Mato Grosso (Proalmat), aprovado pelo então governador Dante de Oliveira, em 1997, dando início à escalada da produção algodoeira no estado, num modelo empresarial e mecanizado. 

O Proalmat, que serviu de estímulo aos produtores pioneiros da década de 1990, foi lembrado em outros discursos da noite e foi o principal tema abordado pelo governador Pedro Taques, que fez questão de assinar ali o projeto de lei a ser encaminhado à Assembleia Legislativa nesta sexta-feira, propondo a renovação do programa de incentivo à cotonicultura em Mato Grosso. "Assinei este projeto com a convicção de que, mesmo em momentos de crise, devemos criar oportunidades", argumentou Taques. 

Em seu último discurso na qualidade de presidente da Ampa, Gustavo Piccoli fez um breve balanço da gestão de sua diretoria no biênio 2015/16, destacando a construção de cinco Centros de Treinamento e Difusão Tecnológica nas principais regiões algodoeiras de Mato Grosso e da Escola de Beneficiamento instalada em Rondonópolis, a ser inaugurada no início de 2017, a única do pais. Também enfatizou a instalação de biofábricas em alguns desses CTDTs visando à produção de bioinseticidas para controle das principais pragas e doenças do algodoeiro e a implantação do projeto Capacitação e Assessoria Administrativo-Financeira, oferecido aos associados da Ampa, visando a melhor gestão de suas propriedades. Ele elogiou "a determinação dos deputados federais e estaduais em defender os interesses do agronegócio, que repercutem diretamente em toda a sociedade'.

"Faço aqui um apelo aos governantes deste estado: incentivem quem trabalha e produz! A nossa atividade exige que estejamos sempre atentos e vigilantes. Geramos riquezas para toda a sociedade! Precisamos ser valorizados e incentivados para que continuemos no campo', afirmou.

O presidente empossado Alexandre Schenkel lembrou suas origens no Rio Grande do Sul e disse que sua presença ali representava a continuidade do sonho de seu pai Idécio (já falecido), que acompanhou em sua primeira viagem a Mato Grosso, em 1981. Falou sobre o seu primeiro contato com a cultura do algodão na fazenda da família, em Campo Verde, acrescentando que iniciou naquele momento a sua participação na Ampa. Ele elogiou o trabalho realizado por seus antecessores na direção da entidade e adiantou alguns dos principais desafios de sua gestão: melhorar a eficiência das biotecnologias utilizadas nas lavouras e também da energia utilizada em usinas de beneficiamento e outras indústrias do setor algodoeiro de Mato Grosso. "Hoje o custo da energia é alto e a qualidade nem tanto, o que traz prejuízos às máquinas", disse. Também enfatizou a importância da parceria com o governo.

A diretoria da Ampa no biênio 2017/18 é integrada ainda por Eraí Maggi Scheffer (vice-presidente), Paulo Sérgio Aguiar (1º secretário), Guilherme Mognon Scheffer (2º secretário), Sérgio Azevedo Introvini (1º tesoureiro), Cleto Webler  (2º tesoureiro), Alexandre De Marco (presidente do Núcleo Regional Sul), Gustavo Pinheiro Berto  (presidente do Núcleo Regional Centro), Romeu Froelich (presidente do Núcleo Regional Centro Leste), Orcival Gouveia Guimarães (presidente do Núcleo Regional Norte), José Milton Falavinha (presidente do Núcleo Regional Médio Norte) e João André Lopes Guerreiro (presidente do Núcleo Regional Noroeste).

O Conselho Fiscal da entidade no biênio 2017/18 será integrado por Alessandro de Souza Polato, Arilton Cesar Riedi e Evandro Dal Bem (como membros titulares), e por Valdir Roque Jacobowski, Rudolf Thomas Maria Aernoldts e André Guilherme Sucolotti (como suplentes).
 
Lançamento de livro e premiação – A solenidade de posse da nova diretoria reuniu várias lideranças do setor produtivo, entre os quais, os ex-presidentes da entidade Gilson Pinesso e Sérgio De Marco (que também presidiram a Abrapa), o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Mato Grosso (Fiemt), Jandir Milan, e o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja), Endrigo Dalcin. Outras presenças de destaque foram o vice-governador Carlos Fávaro e o secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ricardo Tomczyk. 
A cerimônia foi iniciada com o lançamento do livro "Algodão – Os Pioneiros que transformaram Mato Grosso em um grande produtor" (Entrelinhas Editora)", de autoria da jornalista Martha Baptista, que resgata boa parte da história que culminou na atual liderança mato-grossense na produção brasileira de pluma.

"Nosso objetivo foi fazer um registro da trajetória desses desbravadores que, fiéis ao espírito dos verdadeiros empreendedores, ousaram fazer algo novo no coração do Brasil", comentou o presidente da Ampa, Gustavo Piccoli, ao fazer a apresentação do livro ao público. O ministro Blairo Maggi recebeu o seu exemplar das mãos do diretor executivo da Ampa, Décio Tocantins, e o governador Pedro Taques foi presentado com um livro pela autora. 

Outro destaque foi o anúncio dos vencedores e homenageados pelo prêmio Semeando o Bem – uma iniciativa do Instituto Algodão Social (IAS), que receberam o Troféu Semeando o Bem. Cinquenta e um projeto foram inscritos na terceira edição do prêmio.

"A cada edição do prêmio Semeando o Bem, temos mais projetos inscritos. Isso demonstra que, cada vez mais, os associados da Ampa estão decididos a fazer o bem.

A empresa que pratica a responsabilidade social ganha visibilidade no mercado e conceito perante a sociedade", afirmou Piccoli.  
Segue a relação dos premiados em oito categorias:
Categoria Saúde (premiados em dois subgrupos):  
Projeto Qualidade de Vida para os funcionários. Saúde em Primeiro Lugar -  Fazenda São Jerônimo (Alto Garças) 
Projeto Saúde para Todos - Fazenda São José (Campo Novo do Parecis) – Vanguarda Agro 
 
Categoria Educação: Projeto Incentivo à Educação - Fazenda Tropical (Pedra Preta) – Sementes Tropical  
 
Categoria Meio Ambiente (premiados em dois subgrupos):
Projeto Frutificar – Educar para Crescer - Fazenda Boa Esperança (Lucas do Rio Verde) – Boa Esperança Agropecuária (Grupo Bom Jesus)  
Projeto Aterro Sanitário e destinação correta do lixo - Fazenda Paiaguás (Diamantino) - SLC Agrícola  
 
Categoria Esporte e Lazer (premiados em dois subgrupos):
Projeto Lazer aos Funcionário -Fazenda Mãe Margarida (Santa Rita do Trivelato) – Vanguarda Agro 
Associação Sapezal de Karatê - Fazenda Encantado I a VI (Sapezal) - Grupo Webler  
 
Categoria Cultura: Projeto Cinema na Fazenda – Fazenda Filadélfia (Campo Verde) - Grupo Bom Futuro
 
Categoria Filantropia: Projeto Fazendo o Bem Reciclando - Fazenda Bom Jesus (Pedra Preta) - Grupo Bom Jesus
 
Categoria Educação e Segurança Alimentar (premiados em dois subgrupos):
Projeto Educação e Segurança Alimentar - Esporte com Saúde - Fazenda Marabá (Campo Verde) - Grupo JPupin
Projeto Formação e Bem-estar: os horizontes do Grupo BDM – Grupo BDM
 
Categoria Ações Diferenciadas: Torneio de Futebol Society da Apae (Campo Novo do Parecis) - Fazenda Santa Terezinha – Grupo Piaia 
 
Semeadores do Bem homenageados com o Troféu Honra ao Mérito: Clube Amigos da Terra – CAT Sorriso, Grupo Bom Futuro, Grupo SinAgro, Empresa Agropecuária Fazenda Brasil – AFB, Grupo O Telhar Agropecuária e a médica Edvige Dassi.


Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink