Algodão: Sinda vai integrar sistemas ABR e SAI
CI
Agronegócio

Algodão: Sinda vai integrar sistemas ABR e SAI

Sistema oferece banco de dados sobre setor algodoeiro
Por:
O Sistema Nacional de Dados do Algodão (Sinda), nova ferramenta da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa), vai integrar os sistemas de dados do programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR) e do Sistema Abrapa de Identificação (SAI). Dessa forma, a Abrapa e o produtor passam a ter acesso único, pelo Sinda, a todos os sistemas. “É um processo de unificação que nos permite ter todas as informações em um único banco, dando um panorama completo das fazendas, produção, certificação e rastreabilidade”, diz o presidente da Abrapa, Gilson Pinesso.

O novo modelo inclui a implantação e manutenção de um sistema que oferece um banco de dados com informações estratégicas nacionais e internacionais do setor algodoeiro, propiciando um histórico abrangente aos produtores associados.
 
O Sinda é inovador e vai colocar à disposição da cadeia do algodão um sistema integrado de informações fluindo continuamente entre seus usuários. Os benefícios vão além da entrega de conhecimento ao produtor. O sistema contemplará o histórico da coleta de dados pelas associações estaduais - cuja participação é imprescindível -, e devolverá informação por perfil de usuário. Ele reunirá, ainda, informações de associações, cooperativas, unidades produtivas, usinas de beneficiamento, corretoras e consultorias agronômicas, entre outros.
 
O processo de coleta e lançamento de informações no sistema prioriza a credibilidade, tornando os dados gerados pelo Sinda um espelho da realidade da produção algodoeira e ajudando na criação e consolidação de programas em benefício do setor.
 
Cadastro – Os dados relativos aos produtores, unidades produtivas, culturas e outras de "dentro da fazenda" serão cadastrados pelas estaduais mediante informações atualizadas obtidas junto aos produtores. “A estadual é o principal agente deste processo. O cadastro de uma unidade produtiva feito por ela vai estar ligado a todos os demais sistemas, como a certificação do ABR”, lembra Pinesso.
 
As informações relativas à corretoras de algodão e usinas de beneficiamento vinculadas ao SAI serão cadastradas pela própria Abrapa, que também detém a gestão de todos os dados do sistema. Com isso, poderá controlar o conteúdo e o momento de divulgação das informações, de acordo com os interesses dos cotonicultores brasileiros.
 
O sistema garante o sigilo das informações, restringindo a visualização de acordo com o perfil de usuário. Assim, o produtor acessa somente os seus cadastros - como produtor ou grupo de produtores -, enquanto a estadual cadastra e acessa os cadastros dos produtores de seu estado. Em comum, produtor e estadual visualizam as informações de corretoras e usinas cadastradas pela Abrapa, como nome, município e estado de localização.
 
Treinamento – Como as estaduais terão papel fundamental na inserção de dados do Sinda, a Abrapa promoverá um treinamento, in loco, com duração de dois dias, para associadas conhecerem, aprenderem e utilizarem o sistema de forma completa. “Queremos que os técnicos de cada estadual que fiquem responsáveis por este trabalho tenham pleno conhecimento do funcionamento do sistema e entendam a importância dele”, diz Allan Pequeno, administrador do Banco de Dados da Abrapa.
 
O técnico da área de sustentabilidade, que trabalha com o programa ABR, também deve participar do treinamento para entender como funciona o banco de dados e a integração entre os sistemas.
 
A agenda de treinamentos começa em Goiás, na Agopa, nos dias 10 e 11 de abril, em Goiânia. Nos dias 14 e 15 será a vez de Barreiras (BA), na Abapa; seguido de Cuiabá (MT), na Ampa, nos dias 16 e 17 de abril; A Amipa terá o curso em Uberlândia (MG) em 24 e 25; e a Ampasul, em Chapadão do Sul (MS), nos dias 28 e 29 de abril. “Priorizamos os estados que além do Sinda, também participam do ABR”, explica Pequeno.
 
Nos dias 6 e 7 de maio, os técnicos das estaduais do Maranhão, Piauí e Paraná, receberão o treinamento em Brasília, assim como os técnicos de São Paulo, nos dias 12 e 13 de maio.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink