Algodão sobe e área aumenta acima de 30%

Agronegócio

Algodão sobe e área aumenta acima de 30%

Os estoques internacionais estão baixos e a demanda continua aquecida
Por: -Mauro Zafalon e Karla Domingues
488 acessos

Esquecido nos últimos anos por parte dos produtores, o algodão se transforma em uma das boas opções de plantio nesta safra 2010/11.

Os estoques internacionais estão baixos, a demanda continua aquecida e houve queda de produção em alguns dos principais países produtores.

O resultado foi a elevação dos preços mundiais para os maiores valores em 140 anos nas principais Bolsas de negociações.

Tudo isso levou os produtores brasileiros a ampliar a área semeada, que poderá atingir até 1,14 milhão de hectares, segundo a estimativa mais otimista da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), 37% mais do que no ano passado.

O órgão tem também uma estimativa mais pessimista, que indica 1,08 milhão de hectares. Nesse caso, o aumento seria de 29%.

A consultoria AgraFNP, especializada em informações no setor do agronegócio, também prevê um bom avanço na área: será semeado 1,09 milhão de hectares, 31% mais do que em 2009.

A área de algodão no país chegou a 4,1 milhões de hectares na safra 1976/77, mas doenças e rentabilidade maior de outros produtos fizeram a área recuar para até 657 mil hectares em 96/97.

A produção brasileira da pluma deverá atingir até 1,7 milhão de toneladas, 46% mais do que a obtida na safra anterior, segundo a Conab.

Os dados da AgraFNP também indicam produção de 1,7 milhão de toneladas.

"Em muitas regiões, o algodão vinha sumindo e perdendo território para soja e cana. Com o atraso na safra de verão dessas culturas, o cotonicultor resolveu focar o plantio da pluma para esta primeira safra", avalia Fernando Terao, analista de grãos da AgraFNP.

Os preços continuam subindo e atingiram US$ 1,46 por libra-peso (454 gramas) ontem em Nova York. No mercado interno, as cotações do Cepea indicam R$ 2,72.

Parou A arroba do boi gordo, após forte escalada de preços nas últimas semanas, perdeu força ontem e recuou. Dados do Cepea indicaram que a média ponderada de preços recuou para R$ 116,18, com queda de 0,9% no dia.

Quanto sobe Essa queda no preço do boi é a primeira desde o início de outubro. No dia 6 do mês passado, a arroba era negociada a R$ 94,60, segundo o Cepea. De lá para cá, teve alta acumulada de 23%.

PEP A Conab fará leilões de PEP (Prêmio de Escoamento de Produto) para arroz e trigo. Os leilões visam garantir os preços mínimos de R$ 25,80 por saca de 50 quilos para o arroz e de R$ 477 por tonelada para o trigo-pão tipo 1, diz a Conab.

Em queda O mercado de commodities agrícolas fechou em baixa ontem nos mercados de Nova York e de Chicago. O algodão liderou a queda em Nova York, com recuo de 3,7%.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink