Alternativa para produção de soja convencional

Agronegócio

Alternativa para produção de soja convencional

Esta é uma opção a mais para o produtor na hora de decidir a produção
Por:
816 acessos
Na programação do Circuito Aprosoja em Primavera do Leste, região sul de Mato Grosso, o presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), Glauber Silveira, destacou a parceria com os sementeiros no plantio de soja convencional. Ele deixou claro que é uma opção a mais para o produtor na hora de decidir a produção.


O presidente da entidade destacou a parceria com a Embrapa no fomento de pesquisas para viabilizar a produção de soja convencional no estado. Outro fator importante para os sojicultores neste tipo de produção é o pagamento de até R$ 4,50 a mais pela soja convencional, um "plus" que, se concretizado nas próximas safras, será um atrativo para os produtores.

Mesmo assim, a cultura de soja transgênica avança no Estado e corresponde a quase 70% da área plantada na safra 2010/11. "O manejo é mais fácil, a produtividade é semelhante à da convencional e os custos não são tão elevados", diz ele. No entanto, entidade de produtores teme que transgênico ocupe a área da soja convencional no Estado, dificultando o retorno.


Implantado em parceria com a Associação Brasileira dos Produtores de Grãos Não-Geneticamente Modificados (Abrange) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), a Aprosoja participa do programa Soja Livre, lançado em novembro de 2010, e que tem o objetivo de incentivar o desenvolvimento de pesquisas com cultivares convencionais.

No total, 17 dias de campo disseminaram a cultura e a valorização da soja convencional no estado de Mato Grosso e mais de dois mil produtores puderam receber informações do programa, que tem o apoio da Aprosmat e da Fundação Rio Verde e patrocínio da Fundação Triângulo, Fundação Cerrados, Fundação Bahia.


O Circuito Aprosoja é uma realização da Aprosoja e do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de Mato Grosso (Senar/MT), vinculado ao sistema Famato.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink