América vai reforçar controle contra PSA
CI
Imagem: Pixabay
DOENÇA

América vai reforçar controle contra PSA

Depois de 40 anos fora do continente, doença foi diagnóstica na República Dominicana
Por: -Eliza Maliszewski

Durante a Conferência de Ministros da Agricultura das Américas de 2021, organizada pelo Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura (IICA), realizada nesta semana, em San José, na Costa Rica, os ministros da Agricultura das Américas se comprometeram a trabalharem juntos para combater a Peste Suína Africana.

Depois de 40 anos fora do continente americano, a doença foi diagnóstica em julho na República Dominicana. No Brasil a última ocorrência foi registrada em Pernambuco em 1981, e as medidas aplicadas pelo serviço veterinário oficial brasileiro permitiram a erradicação da doença em todo seu território e a declaração de país livre de PSA em 1984. Na China, maior criador do mundo, a doença chegou a dizimar 60% do rebanho.

Os ministros dos 34 países integrantes do IICA se comprometeram a realizar ações conjuntas com a colaboração de organizações internacionais ligadas à produção de alimentos e à saúde animal. Além disso, solicitaram ao diretor-geral do IICA, Manuel Otero, que apoie o desenvolvimento e a execução de projetos e ações binacionais, e implementação de planos de trabalho definidos nos espaços sub regionais, com o objetivo de erradicar os surtos e prevenir e conter a propagação. do vírus, para que o Hemisfério recupere a condição de livre da Peste Suína Africana.

“Precisamos estar atentos pois, apesar de não ser transmissível aos humanos, a Peste Suína Africana poderá impactar a economia de nosso continente e as vidas de nossas populações. Uma ação coordenada entre nossos países é essencial”, ressaltou a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina, que assumiu a presidência da JIA. 

Na reunião a República Dominicana e o Haiti informaram as ações que adotam para enfrentar a PSA e solicitaram o apoio e a execução de iniciativas para erradicar focos e conter a disseminação do vírus, que ameaça a indústria suína do hemisfério e a estabilidade econômica de pequenos e médios produtores do setor.

“Estabelecemos uma série de conversas bilaterais com autoridades de diferentes países, com especial atenção ao intercâmbio recebido com o país irmão, Haiti. Bem como entramos em contato com organismos internacionais e solicitamos uma missão técnica de apoio formada pela Organização Mundial de Sanidade Animal (OIE), a FAO, o IICA e o Organismo Internacional Regional de Sanidade Agropecuária (OIRSA), que permaneceu 15 dias no país”, acrescentou o Ministro da Agricultura da República Dominicana, Limber Cruz López.

A peste suína africana é uma doença hemorrágica altamente contagiosa que atinge suínos domésticos e selvagens, causando graves perdas econômicas e produtivas. Atualmente não há vacina conhecida e a prevenção e o controle são fundamentais, pois são as únicas ferramentas disponíveis para combater a doença. 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.