Análise semanal do mercado do trigo
CI
Agronegócio

Análise semanal do mercado do trigo

Comentários referentes ao período entre 23/12/2011 a 09/02/2012
Por:
Prof. Dr. Argemiro Luís Brum¹
Emerson Juliano Lucca²

Comentários referentes ao período entre 23/12/2011 a 09/02/2012

As cotações do trigo em Chicago, após atingirem a US$ 6,17/bushel em 21/12/2011, fecharam o mês de dezembro na média de US$ 6,06. Já o mês de janeiro ficou com a média de US$ 6,30/bushel, confirmando uma pequena recuperação no valor do produto. Enfim, o fechamento deste 09/02, em Chicago, ficou em US$ 6,46/bushel, após US$ 6,74 no dia 1º de fevereiro.
 
O mercado reagiu na esteira da soja e do milho, porém, a oferta mundial continua importante.
O relatório do USDA em janeiro consolidou a safra 2011/12 dos EUA em 54,4 milhões de toneladas, reduzindo um pouco os estoques finais para 23,7 milhões de toneladas. Mesmo assim, o patamar de preços médios para o ano em questão ficou menor, se estabelecendo entre US$ 6,95 e US$ 7,45/bushel. Já a produção mundial foi aumentada para 691,5 milhões de toneladas, com estoques finais mundiais em 210,02 milhões.

Por sua vez, o relatório de fevereiro, divulgado neste dia 09/02, manteve a produção estadunidense em 54,4 milhões de toneladas neste ano de 2011/12, porém, reduziu um pouco mais os estoques finais naquele país, com os mesmos ficando agora em 23 milhões de toneladas. Com isso, o patamar médio de preços para o ano indicado se elevou para níveis entre US$ 7,15 e US$ 7,45/bushel. No cenário internacional, a produção mundial foi novamente elevada, passando agora para 692,88 milhões de toneladas, com estoques finais alcançando 213,10 milhões de toneladas. A produção da Argentina foi confirmada em 14,5 milhões de toneladas, enquanto a brasileira ficou em 5,8 milhões de toneladas. As importações brasileiras de trigo seriam de 7 milhões de toneladas em 2011/12.

No Mercosul os preços melhoraram nesse início de fevereiro, com o Up River argentino registrando valor de US$ 252,00/tonelada na compra, com um aumento de 18,3% sobre a média de janeiro passado, porém, ainda muito longe dos US$ 343,00/tonelada verificados um ano antes. Por sua vez, no Uruguai o preço de compra da tonelada está, no momento, a US$ 258,00, ficando 18,9% acima do preço do mês de janeiro e ainda 22,3% abaixo do valor praticado no mesmo período de 2011, quando a tonelada chegou a US$ 332,00. No mercado paraguaio a tonelada do cereal segue a tendência altista dos demais mercados mercosulinos e está cotada atualmente a US$ 248,00, apontando alta de 17% sobre janeiro passado, porém, ainda ficando um pouco abaixo do valor praticado um ano antes nesse mercado, que foi de US$ 260,00/tonelada. (cf. Safras & Mercado)

Apesar destes movimentos altistas no mercado mundial, os preços no Brasil pouco reagem e o mercado local continua à mercê dos leilões de PEP e PEPRO do governo federal, os quais retornaram no início deste ano. Assim, a média de balcão no mercado gaúcho fechou a semana em R$ 23,90/saco, enquanto os lotes ficaram entre R$ 410,00 e R$ 430,00/tonelada. Assim, no mercado gaúcho, os atuais preços estão estáveis em relação a janeiro passado, porém, ficam 10,9% abaixo das médias obtidas no início de fevereiro de 2011. No Paraná, os lotes oscilaram entre R$ 460,00 e R$ 470,00/tonelada. Nesse Estado, os preços indicados são 2,2% superiores às médias praticadas em janeiro, porém, 6,1% abaixo dos registrados um ano antes, na mesma época. Para este dia 10/02 eram esperados novos leilões de PEP e PEPRO organizados pela Conab. (cf. Safras & Mercado)

Nas atuais condições, não há perspectivas de melhoria nos preços do trigo nacional, já que as importações continuam competitivas. Resta saber o que os produtores irão fazer no próximo inverno, diante deste péssimo quadro de comercialização, e após as importantes perdas na atual safra de verão, especialmente no Rio Grande do Sul. Há risco de importante redução de área, porém, diante da necessidade de liquidez, pode ocorrer de os produtores se lançarem a produzir trigo, mesmo sem nenhuma perspectiva de comercialização positiva, apenas visando alcançar o crédito de custeio que possa lhes dar um pouco mais de fôlego até a safra de verão 2012/13.
Abaixo segue o gráfico da variação de preços do trigo no período entre 23/12/2011 e 09/02/2012.
 
 
1 Professor do DACEC/UNIJUI, doutor em economia internacional pela EHESS de Paris-França, coordenador, pesquisador e analista de mercado da CEEMA.
2 Economista, Analista e responsável técnico pelo Laboratório de Economia Aplicada e CEEMA vinculado ao DACEC/UNIJUÍ.

Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.