Ânimo agrícola chega às revendas de máquinas em MS
CI
Agronegócio

Ânimo agrícola chega às revendas de máquinas em MS

As projeções de preços melhores para soja e milho geram expectativas no setor
Por:

Revendedores e representantes das concessionárias de maquinários agrícolas instaladas em Mato Grosso do Sul são unânimes em afirmar que é cedo para comemorar aumento nas vendas de equipamentos. No entanto, depois de pelo menos dois anos de prejuízos acumulados, as melhores projeções dos preços da soja e milho para esta safra, que têm dado fôlego aos agricultores do Estado, geram também maiores expectativas para as vendas de maquinários agrícolas.

O gerente da concessionária Apoio Rural em São Gabriel do Oeste, Valdecir Oliveira Nantes Medeiros, conta que, desde janeiro deste ano, o mercado já apresentou suave recuperação em relação às vendas do ano passado. "Não podemos dizer que o volume de negociações está alto, mas, na comparação com o fraco desempenho de comercializações de 2006, percebemos ritmo um pouco melhor", explicou. Segundo Medeiros, as poucas unidades vendidas neste ano estão distantes da necessidade mínima necessária para a revendedora deixar de operar no vermelho. Porém, para ele, o cenário começou a mudar desde janeiro e a perspectiva de vendas para este ano já é bem superior a do ano passado. "A verdade é que não tivemos vendas em 2006. Comercializamos apenas uma colheitadeira durante todo o ano", disse o gerente da concessionária ao acrescentar que em anos de boa safra, no passado, chegava a vender mais de 20 colheitadeiras por ano.

Apesar do otimismo, Medeiros é cauteloso ao comentar os resultados do início deste ano. "Não significa que o setor esteja recuperado: estamos apenas nos baseando em boas perspectivas", afirmou. Para ele, apenas dois anos de bons resultados no campo poderiam proporcionar a recuperação do setor. Ainda assim, a Apoio Rural de São Gabriel do Oeste comemora a venda de dois tratores, duas plantadeiras e uma colheitadeira de janeiro até hoje. "Estas poucas unidades representam muito na comparação com as vendas do ano passado", ressaltou. O diretor comercial da concessionária Mosena, em Campo Grande, Eduardo Mosena, confirma que o setor tem sinais de recuperação. Ele conta que, no ano passado, as vendas de colheitadeiras e tratores chegaram a cair 80% e 50% respectivamente, em função da crise vivenciada pelos produtores rurais. "O poder de compra do produtor caiu muito nos últimos anos, mas, com muita cautela, vemos que as cotações começaram a melhorar e trouxeram outra perspectiva", disse.

Eduardo Mosena destaca que as novas expectativas ainda pouco influenciaram as vendas de maquinários agrícolas, mas foram suficientes para reacender boas projeções. "O ânimo dos agropecuaristas está mudando seguindo a melhor relação de preços e custos". Ele lembra que os produtores estão se estruturando e devem, a partir de abril, intensificar com cautela a aquisição de maquinários necessários para a produção.

Em algumas regiões do sul do País, segundo Mosena, as concessionárias já estão com níveis de vendas elevados, chegando a registrar dificuldades na entrega de alguns modelos de tratores, por exemplo. A tendência é que a melhoria na relação entre custo e ganhos nas culturas da soja e milho, neste ano, permita que os produtores rurais de Mato Grosso do Sul adquiram os maquinários agrícolas que, nos últimos anos, não puderam ser comprados.


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink