CI

Anulado leilão de 263 mil toneladas de arroz

Medida foi tomada devido a fragilidades detectadas nas empresas vencedoras


Foto: Divulgação

O governo federal anunciou nesta terça-feira (11.06) a anulação do leilão realizado na semana passada para a compra de 263 mil toneladas de arroz importado. A medida foi tomada devido a fragilidades detectadas nas empresas vencedoras e suspeitas de irregularidades no processo de licitação.

O leilão, ocorrido na última quinta-feira (6), teve como resultado um preço médio de R$ 25 por saco de arroz de 5 quilos. A decisão de importar arroz foi tomada rapidamente após o início das enchentes no Rio Grande do Sul. 

O cancelamento do leilão levanta preocupações sobre a disponibilidade e o preço do arroz no mercado interno, especialmente considerando a importância do Rio Grande do Sul no fornecimento do grão para o país. 

De acordo com os dados da Agência Brasil, também nesta terça-feira, o secretário de Política Agrícola do Mapa, Neri Geller, pediu demissão após suspeitas de conflito de interesse. Matéria do site Estadão informa que o diretor de Abastecimento da Conab, Thiago dos Santos, responsável pelo leilão, é uma indicação direta do secretário. Além disso, a FOCO Corretora de Grãos, principal corretora do leilão, é do empresário Robson Almeida de França, que foi assessor parlamentar de Geller na Câmara e é sócio de Marcello Geller, filho do secretário, em outras empresas.

O ministro Fávaro confirmou que aceitou a demissão do secretário. “Ele [Geller] fez uma ponderação que, quando o filho dele estabeleceu a sociedade com esta corretora lá de Mato Grosso, ele não era a secretário de Política Agrícola, portanto, não tinha conflito ali. E que essa empresa não está operando, não participou do leilão, não fez nenhuma operação, isto é fato. Também não há nenhum fato que desabone e que gere qualquer tipo de suspeita, mas que, de fato, isso gerou um transtorno e, por isso, ele colocou hoje de manhã o cargo à disposição”, explicou Fávaro.

MAIS

O secretário de Políticas Agrícolas do Ministério da Agricultura, Neri Geller, foi demitido pelo governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Subordinado ao Ministério da Agricultura, Geller foi pressionado a sair depois do surgimento de indícios de irregularidades no leilão de arroz do governo federal. A demissão foi publicada no Diário Oficial da União nesta 4ª feira (12.06)

 

O Ministro de Estado da Casa Civil da Presidência da República, Rui Costa dos Santos, nomeou João Carlos Camargo Ferrer para o cargo de Chefe de Gabinete do Ministro de Estado da Secretaria Extraordinária da Presidência da República para Apoio à Reconstrução do Rio Grande do Sul. Ferrer, agora ocupando o código CCE 1.15, para coordenação dos esforços de reconstrução no estado.

No Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, Ana Paula Cunha Machado Cavalcante foi designada como Diretora do Departamento de Apoio ao Conselho Nacional de Mudança do Clima e ao Comitê Interministerial sobre Mudança do Clima, conforme a portaria Nº 663. Ana Paula assumirá o código FCE 1.15, assumindo um papel crucial na articulação das políticas climáticas nacionais.

Por fim, no Ministério dos Povos Indígenas, Manoel Uilton dos Santos foi nomeado Diretor do Departamento de Promoção da Política Indigenista da Secretaria Nacional de Articulação e Promoção de Direitos Indígenas, conforme a portaria Nº 664. Uilton ocupará o cargo com código CCE 1.15, assumindo responsabilidades importantes na defesa e promoção dos direitos dos povos indígenas.

Assine a nossa newsletter e receba nossas notícias e informações direto no seu email

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.