Anúncio antecipado repercutiu bem

Agronegócio

Anúncio antecipado repercutiu bem

Anúncio antecipado pelo ministro Rossi repercutiu bem entre os ruralistas
Por:
1728 acessos
Anúncio antecipado pelo ministro Rossi repercutiu bem entre os ruralistas que torcem para que recursos cheguem no tempo certo

A classe produtora de Mato Grosso aplaudiu a decisão do governo federal em antecipar o anúncio dos recursos para a safra 11/12, que começa a ser plantada a partir da segunda quinzena de setembro NO Estado. Para o próximo ciclo o valor a ser disponibilizado somará R$ 107 bilhões, incremento de 7% em relação ao Plano Agrícola passado. A antecipação foi anunciada pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi, mas os detalhes do Plano Agrícola e Pecuário (PAP) serão conhecidos somente na primeira quinzena junho, em data ainda a ser definida.

“A antecipação do anúncio é boa, pois vai permitir ao produtor fazer o planejamento de safra para este ano”, disse o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Famato), Rui Ottoni Prado. Ele espera, contudo, que o dinheiro seja “liberado em sua totalidade e no momento certo para o produtor”.

Prado diz que a Famato irá brigar pelo aumento do orçamento do Plano Agrícola e Pecuário (PAP), lembrando que só para Mato Grosso a necessidade será de R$ 80 bilhões. “O mais importante de tudo não é o produtor ter este recurso à disposição, mas na prática acessar ao crédito”, alertou.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja/MT), Glauber Silveira, também espera que os recursos sejam liberados na prática. “Vamos ver se haverá efetividade, pois todo ano o produtor tem dificuldades de acessar ao crédito”.

Silveira defende também a descentralização dos recursos do Fundo Constitucional de Financiamento no Centro-Oeste (FCO) pelo Banco do Brasil. Segundo ele, Mato Grosso tem um baixo índice de utilização dos recursos porque atualmente apenas o Banco do Brasil está credenciado como agente repassador. “Precisamos fazer com que pelo menos 30% dos recursos sejam redirecionados às cooperativas de crédito”, disse.

PAP - Principal pacote de medidas do governo federal para incentivar a produção agropecuária, o PAP inclui crédito para custeio, investimento, comercialização e subvenção ao seguro. As linhas de financiamento são elaboradas com condições facilitadas para o produtor, incluindo taxas de juros mais baixas que as praticadas no mercado.

Ao anunciar o montante dos recursos para o PAP 2011, o ministro fez um balanço da agricultura brasileira e ressaltou as sucessivas quebras de recorde de produção de grãos. "Para a próxima safra, o Brasil vai colher mais de 160 milhões de toneladas de grãos", disse. "A agricultura empresarial e familiar terá à disposição R$ 123 bilhões", completou.

Rossi confirmou, entre as medidas do plano, a criação de uma linha de crédito para financiar a renovação das plantações de cana-de-açúcar. "Isso é importante para garantir competitividade e ganhos de produtividade do setor", comentou. Ele também anunciou recursos de estímulo à pecuária. “O produtor precisa de condições especiais de financiamento, que permitam a retenção e a compra de matrizes”, disse o ministro. Rossi destacou que, no passado recente, na média nacional, um terço das vacas foram abatidas. "Isso garantiu rentabilidade no curto prazo, mas trouxe riscos para o produtor no médio e longo prazos", admitiu.

O ministro da Agricultura comentou que o plano safra prevê crédito para projetos agropecuários destinados à recuperação de pastagens degradadas. "O Programa Agricultura de Baixo Carbono tem como meta recuperar, em dez anos, 30 milhões de hectares de áreas degradadas", disse.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink