Aperto na oferta pressiona preços do açúcar que fecham em alta
CI
Imagem: Marcel Oliveira
MERCADO

Aperto na oferta pressiona preços do açúcar que fecham em alta

As cotações da commodity nesta quinta-feira (12) que fecharam em alta
Por:

O aperto na oferta mundial de açúcar com uma quebra de safra no maior produtor: Brasil, pressionou as cotações da commodity nesta quinta-feira (12) que fechou em alta em todos os lotes das bolsas de Nova York (açúcar bruto) e Londres (açúcar branco).

Na ICE, de NY, a commodity foi contratada ontem, no vencimento outubro/21, a 19,54 centavos de dólar por libra-peso, valorização de 7 pontos, ou 0,4%, no comparativo com a véspera. Já a tela março/22 subiu 15 pontos, negociada em 20,11 cts/lb. Os demais lotes subiram entre 14 e 20 pontos.

Segundo a Reuters, operadores afirmaram que uma combinação de seca e geada prejudicou as perspectivas de produção de açúcar no Brasil, potencialmente levando a um déficit mundial na temporada de 2021/22. Há ainda uma preocupação de que a situação (da safra brasileira) possa piorar ainda mais nas próximas semanas.

"A safra de beterraba nos Estados Unidos irá enfrentar alguns atrasos após problemas iniciais com clima mais seco que o normal, afirmou o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês)", destacou, ainda, a Reuters.

Açúcar branco

Em Londres o açúcar branco também fechou valorizado em todos os lotes. A tela para outubro/21 subiu 4,90 dólares, negociada em US$ 476,10 a tonelada, 1% a mais do que a véspera. Já o vencimento dezembro/21 valorizou 7,10 dólares, com contratos firmados em US$ 495,90 a tonelada. As demais telas subiram entre 5,20 e 6,70 dólares.

Açúcar cristal

No mercado interno o açúcar cristal também fechou valorizado nesta quinta-feira pelo Indicador Cepea/Esalq, da USP. A saca de 50 quilos foi negociada ontem a R$ 125,55, contra R$ 122,59 de quarta-feira, valorização de 2,41%.

Etanol hidratado

O etanol hidratado registrou mais um dia de alta pelo Indicador Diário Paulínia nesta quinta-feira. Ontem o biocombustível foi vendido a R$ 3.217,50 o m³, contra R$ 3.214,00 o m³ da véspera, alta de 0,11% no comparativo.
 


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o site para tornar sua experiência personalizada. Leia os nossos Termos de Uso e a Privacidade.