Apesar de perdas, Mato Grosso se mantém líder na produção de grãos no Brasil

Agronegócio

Apesar de perdas, Mato Grosso se mantém líder na produção de grãos no Brasil

IBGE também divulgou nesta terça-feira (9) a estimativa mensal da safra de grãos 
Por:
2616 acessos

IBGE também divulgou nesta terça-feira (9) a estimativa mensal da safra de grãos 

A produção de grãos em Mato Grosso na safra 2015/2016 está praticamente consolidada, em 44,6 milhões de toneladas, que foram colhidas de 13,965 milhões de hectares. Mesmo com as perdas herdadas pela estiagem, decorrente do fenômeno climático El Niño, e que encolheram a produção em 7,546 milhões (t) sobre a temporada passada, o Estado segue como o maior produtor nacional de cereais, oleaginosas e fibras, conforme o 11º e penúltimo levantamento da safra da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

No ciclo 2014/2015 foram colhidos 51,718 milhões de toneladas de soja, milho, algodão, arroz, feijão e girassol em solo mato-grossense. A área cultivada nesta safra (13,965 milhões de hectares) foi 2,8% maior que na última safra, um acréscimo de 379 mil hectares. Contudo, a produtividade caiu 16,9% este ano em relação a 2015 e alcançou a média de 3,163 mil quilos por hectare em 2016. Neste 11º levantamento, divulgado pela Conab nesta terça-feira (9), observa-se a diminuição na produção agrícola em 18 estados brasileiros e no Distrito Federal.

No Paraná, 2º maior produtor nacional de grãos com 35,748 milhões (t), a oferta de alimentos recua em 5,1% em comparação com a safra 2014/2015. A produção brasileira na safra 2015/2016 alcança 188,1 milhões (t), com decréscimo de 9,5% ou 19,7 milhões (t) ante à safra imediatamente anterior, quando foram colhidas 207,7 milhões (t). Em relação ao último levantamento, divulgado no mês passado pela Conab, houve decréscimo de 0,6% na produção nacional. Por outro lado, a área plantada teve aumento em relação à última safra. Está estimada em 58,2 milhões de hectares, com aumento de 0,6%.

A soja, que responde por 57% da área cultivada do país, é a responsável pelo aumento dessa medida. O crescimento deve ser de 3,6%, passando de 32,1 milhões (ha) para 33,2 milhões (ha) na safra atual.Já a produção de grãos mato-grossense foi revisada de 44,193 milhões de toneladas no 10º Levantamento para 44,172 milhões/t no atual, confirmando nova redução de 0,04%. A falta de chuvas impacta negativamente nos volumes colhidos em todas as lavouras este ano, comenta o supervisor de Pesquisas Agropecuárias do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em Mato Grosso, Elton Fior.

O IBGE também divulgou nesta terça-feira (9) a estimativa mensal da safra de grãos e destacou a retração nas produções de soja e milho em Mato Grosso, que responde por 24,1% da produção nacional de grãos com 45,549 milhões de toneladas, segundo a entidade. Para o país, o IBGE estima a colheita de 189 milhões de toneladas este ano, volume inferior em 20,4 milhões ou 9,8% à safra recorde de 2015, quando somou 209,4 milhões de toneladas.  MILHO - Este mês encerra a colheita do milho em Mato Grosso com perdas de 23,2%, o equivalente a 4,817 milhões (t) e um volume total de 15,946 milhões (t), segundo a Conab.

No último ciclo foram colhidas 20,763 milhões (t). Contudo, a quebra de safra apontada pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) é bem superior à estimada pelo governo federal. No boletim semanal Imea divulgado nesta segunda-feira (8) estão previstas perdas de 6,9 milhões de toneladas. O rendimento médio de 75,9 sacas por hectare deve levar à colheita de 19,330 milhões de toneladas do cereal nesta safra, segundo os analistas do Imea. 

Em 2016, a colheita de soja, milho, algodão, feijão, arroz e girassol será menor em Mato Grosso, segundo a Conab. Destaque na atividade agrícola estadual, a produção de soja totalizou 26,030 milhões de toneladas, com decréscimo de 7,1% ou 1,988 milhão de toneladas ante a temporada 2014/2015, quando foram contabilizadas 28,018 milhões (t). Maior produtor nacional de soja, Mato Grosso obteve rendimento médio de 2,848 mil quilos por hectare do grão, volume que representou queda de 9,2% em relação à produtividade obtida na safra anterior.

“A despeito do aumento da área semeada de 2,3%, contabilizando 9,140 milhões de hectares em 2015/2016, a produção sofreu decréscimo na ordem de 7,1%, com 26,030 milhões de toneladas (...). A expectativa é que a área para a próxima safra seja ligeiramente maior, mesmo considerando a possibilidade do forte aumento da área de soja dos Estados Unidos, aliado às boas condições climáticas das lavouras americanas observadas até o momento”, registram os pesquisadores da Conab.

Já a produção mato-grossense de algodão em pluma está estimada em 908,6 mil toneladas na atual safra, com redução de 1,4% ante as 921,7 mil toneladas colhidas no ciclo imediatamente anterior. O plantio do arroz garante 438,6 mil toneladas, volume também menor (-28,4%) ao total obtido na safra 2014/2015, equivalente a 612,6 mil toneladas. De feijão são colhidas 251,7 mil toneladas, quantia 52,8% menor que as 533,1 mil toneladas da última safra. A produção de girassol também diminuiu com a redução de 73,3% da área plantada este ano, quando foram ocupados 23,1 mil hectares. A produção está estimada em 36,1 mil toneladas, com recuo de 69%. Na safra 2014/2015 foram colhidas 116,5 mil de toneladas.

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink