Apesar do início do mês, não há força para reajuste nas cotações do boi gordo
CME MILHO (DEZ/20) US$ 4,200 (0,72%)
| Dólar (compra) R$ 5,63 (0,59%)


Boi gordo

Apesar do início do mês, não há força para reajuste nas cotações do boi gordo

Diversas praças com frigoríficos fora das compras na última segunda-feira (5/3)
Por:
58 acessos

Diversas praças com frigoríficos fora das compras na última segunda-feira (5/3). Esta condição acompanha o esperado para o dia da semana, mas por estarmos no início do mês, a expectativa positiva quanto à melhora do escoamento deixou a desejar. Sem evolução do consumo, não há motivação para intensificar as compras. No fechamento do mercado, poucas foram as mudanças nas referências, dado que não há espaço para alterações expressivas, pois a oferta não está acentuada, por enquanto.

Em São Paulo, a arroba do boi gordo ficou cotada em R$145,00, à vista, livre de Funrural, sem alterações em comparação com sexta-feira (2/3). No estado, tentativas de compra por R$3,00 ou R$2,00 por arroba abaixo da referência existem, mas nestes patamares não há garantia de aquisição de boiadas. A escala de abate dos frigoríficos paulistas gira em torno de quatro dias. Para o decorrer desta semana, se o consumo não ganhar fôlego, a tendência é que o mercado do boi gordo não ganhe força.

Anúncios que podem lhe interessar


Atenção: Para comentar nesta página é necessário realizar o seu cadastro gratuíto ou entrar.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink