MERCADO FÍSICO

Apetite chinês mantém preço da soja valorizado no Brasil

Colheita no país segue em ritmo normal
Por: -Leonardo Gottems
562 acessos

As cotações da soja tiveram nesta quarta-feira (28.03) mais um dia de altas no mercado físico brasileiro, consolidando um movimento de total descolamento da Bolsa de Chicago (CBOT). Foram registrados aumentos de preços acima de 1% em praças do interior do País, enquanto nos portos brasileiros os valores permaneceram praticamente inalterados – porém em patamares elevados.

De acordo com a Consultoria AgResource, as ofertas físicas no Brasil têm se mantido em níveis estáticos para a maioria do País: “A demanda por soja brasileira conti­nua aquecida, com a China sendo uma grande compradora no principal período de exportação sul-americana. No atual momento é sazonal e comum a concentração de demanda pelo grão de soja brasileiro. Além do mais, a colheita no país segue em ritmo normal. Até o momento, foi colhido 72,8% da safra no Brasil, contra 82,1% em 2017 e 77,6% da média dos últimos 5 anos, quando comparado ao mesmo período”. 

CLIMA

De acordo com os mapas climáticos analisados pela AgResource, as previsões climáticas atualizadas não trazem grandes variações das leituras passadas: “A massa de ar quente de alta pressão continua estacio­nada sobre Minas Gerais, Goiás, São Paulo e toda a principal região do MATOPIBA. No entanto este padrão perde forças por volta do dia 6 de abril, dando espaço para a chegada de chuvas expressivas que voltam a fa­vorecer o progresso da safrinha em algumas regiões e o desenvolvimento final da soja do MATOPIBA”. 

“Para o Sul do Brasil, as melhores chances de precipitações são confinadas dentro dos próximos 5 dias. Para além do dia 6-7 de abril, a chegada de chuvas se concentra sobre o Centro-Norte brasileiro, evitando a região Sul do país. Na Argentina, o cenário conti­nua árido por mais 15 dias, sem grandes mudanças meteorológicas. Por um lado, tal padrão será favorável para o progresso da colheita no país”, concluem os analistas da ARC. 

Atenção: Para comentar esse conteúdo é necessário ser cadastrado, faça seu cadastro gratuíto.
  • Clicar no botão Entrar caso já possua cadastro no Agrolink
  • Se não tiver cadastro ainda em nosso site Cadastre-se gratuitamente e terá acesso a conteúdos exclusivos
  • Clique aqui todas as vantagens de fazer seu cadastro no Agrolink